A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Manifestantes prometem não desarmar enquanto governo não cair

Manifestantes prometem não desarmar enquanto governo não cair
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 40 mil pessoas voltaram a concentrar-se sábado à noite diante da sede de governo da Roménia, em Bucareste, num protesto anticorrupção a exigir a queda do executivo social-democrata.

O governo é atualmente liderado por Viorica Dăncilă, por impossibilidade do líder partidário Liviu Dragnea, condenado já este ano a três anos e meio de prisão por incitamento de abuso de poder.

A execução da pena de Dragnea aguarda resolução de uma ação de recurso pelo também presidente da câmara baixa do Parlamento.

Depois de uma primeira noite de protesto, na sexta-feira, com cerca de 100 mil romenos nas ruas e confrontos com as autoridades, que levaram 400 pessoas a receber assistência hospitalar, os manifestantes não desarmaram.

Corina é emigrante romena na Alemanha e, como muitos compatriotas, voltou esta semana a Bucareste porque entende ser "preciso uma mudança de governo" e quer contribuir para ela.

"[Os políticos no poder] são todos incapazes de fazer alguma coisa por nós. Apenas pensam neles próprios. Não vamos desistir. Não vamos parar até que alguma coisa mude. Até que eles nos deixem e nos deem a possibilidade de uma vida melhor", afirmou Corina à Euronews.

Os manifestantes na rua, este sábado, eram menos de metade dos de sexta-feira e esta segunda jornada de protesto acabou por ser mais pacífica.

Um dos líderes do movimento de protesto é o cantor e ator Tudor Chirilă, uma estrela na Roménia que pretende o melhor para um dos países mais pobres e corruptos da União Europeia.

"Vim aqui esta noite (sábado) porque não quero que o medo prevaleça na sociedade romena e a a última coisa que nos resta é a liberdade de protestar", afirmou Chirilă.

Entre os manifestantes, a reportagem da Euronews descobriu um cidadão holandês. Luke está casado com uma romena e fez questão de acompanhar a mulher de regresso a Bucareste para participar no protesto.

"Têm de continuar a pressionar e mostrar ao resto do mundo o que se está a passar aqui porque este governo é completamente corrupto. Pelo menos isso é o que todos já percebemos neste momento", disse-nos Luke.

Depois da violência de sexta-feira, que motivou inclusive o pedido do presidente Klaus Iohannis para uma investigação à ação das autoridades, a presença da polícia no protesto de sábado foi mais passiva.

Os manifestantes prometeram continuar este domingo a exigir a queda do governo.