Última hora
This content is not available in your region

Rep. Democrática do congo combate Ébola com tratamento experimental

Rep. Democrática do congo combate Ébola com tratamento experimental
Tamanho do texto Aa Aa

A República Democrática do Congo começou a administrar um tratamento experimental em algumas pessoas infetadas com o vírus Ébola.

De acordo com as autoridades locais de saúde, esta é a primeira vez que este tratamento é utilizado contra um surto ativo.

A doença surgiu, em julho, na região de Kivu do Norte, no nordeste do país, uma zona de conflitos com mais de uma centena de grupos armados."O que estamos a pedir à comunidade internacional é ajuda para garantir o acesso às áreas inacessíveis. Pedimos, também, às partes em conflito para que cessem as hostilidades porque o vírus é perigoso para todos", afirma o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Esta terça-feira, as autoridades anunciaram o primeiro caso do surto de Ébola na província de Ituri, vizinha de Kivu do Norte. O objetivo, agora, é evitar que a doença se propague aos grandes centros urbanos.

O chefe das Operações de Emergência da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, Florent Del Pinto conta que "estamos, também, a tentar aumentar a nossa presença em todas as áreas, quando podemos, e tentar, de facto, responder à escala para isto e evitar propagações potencialmente maiores em centros urbanos como Goma, porque isso seria, também, um fator agravante. "

A UNICEF anunciou ter enviado 90 toneladas de ajuda adicional para a República Democrática do Congo para enfrentar o novo surto de Ébola.

Segundo as estatísticas da Organização Mundial de Saúde, esta nova epidemia matou já mais de 40 pessoas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.