EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Universidade de Nova Iorque com propinas gratuitas

Universidade de Nova Iorque com propinas gratuitas
Direitos de autor 
De  Antonio Oliveira E Silva com REUTERS
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Iniciativa abrange Escola de Medicina da NYU e inclui novos estudantes e os que regressam para o segundo e terceiro anos.

PUBLICIDADE

Os estudantes da Escola de Medicina da Universidade de Nova Iorque, a NYU, descobriram que vão ter um regresso às aulas diferente, depois da escola ter anunciado que, a partir deste ano, ninguém pagará propinas.

Uma supresa para pais e alunos num sistema de ensino superior conhecido pela qualidade, mas também pelo preço. Rafael Rivera é reitor da Escola de Medicina da NYU e um dos responsáveis pelo serviço de admissões:

"O sistema de propinas gratuitas que estamos a implementar aqui na Escola de Medicina da Universidade de Nova Iorque implica que os estudantes do programa tenham direito a uma bolsa com cobertura total. São 55 mil dólares e esse custo é coberto pela bolsa"

O curso de medicina da NYU é frequentemente considerado como dos 10 melhores dos Estados Unidos.

Para Rafael Rivera, a decisão, por mais surpreendente que seja, passa por um investimento no futuro da medicina nos Estados Unidos:

"Quando nos perguntam porque fazemos isto, respondo porque acho que vai beneficiar os pacientes a longo prazo. Trata-se de criar a força de trabalho que os nossos pacientes merecem."

A universidade espera assim atrair os alunos mais brilhantes e não só os mais ricos. Quer também evitar que as especialidades mais populares sejam as que melhor paguem. 

Uma forma de recrutar bons profissionais para a medicina familiar a pediatria e ginecologia.

A Associação de Escolas de Medicina dos Estados Unidos calcula que a dívida dos médicos recém-formados supere o equivalente a 180 mil euros, agravando-se no caso das instituições privadas, como é o caso a NYU.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Xangai 2018: Mais universidades europeias no topo mas EUA dominam

Universidade do Michigan aceita pagar indemnização no caso Nassar

Universidades de Oxford e Cambridge lideram ranking mundial