Adiada sentença de jornalistas em Myanmar

Adiada sentença de jornalistas em Myanmar
Direitos de autor Reuters
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os dois jornalistas da Reuters estão detidos desde Dezembro

PUBLICIDADE

Adiado o veredicto do julgamento de dois jornalistas da Reuters em Myanmar.

Estão detidos há 9 meses, acusados de posse ilegal de documentos oficiais - um crime que pode ser punido com 14 anos de prisão.

Os dois repórteres declaram-se inocentes. Dizem que foram vítimas da polícia por denunciarem a brutal perseguição aos muçulmanos Rohingya.

O advogado de defesa acredita que o adiamento da sentença pode ser estratégico. "Podemos considerar que está relacionado com o Conselho de Segurança da ONU, porque a reunião vai decorrer esta terça-feira à noite. Vão falar de Myanmar, por isso acho que tem efeito no julgamento", disse Than Yaw Aung, à porta do tribunal.

Oficialmente, a leitura da sentença foi adiada porque o juiz está doente. Não está ainda marcada nova sessão.

À saída do tribunal, um dos jornalistas ainda teve tempo de dizer que não tinha medo do desfecho, gritando: "A verdade está do nosso lado,"

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um ano de refugiados Rohingya a fugir de Myanmar

ONU visita Bangladesh e Myanmar em defesa dos Rohingya

Rússia proíbe atividade da Rádio Europa Livre/Rádio Liberdade