Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Discurso sobre o Estado da União: na agenda o controlo da imigração

Discurso sobre o Estado da União: na agenda o controlo da imigração
Tamanho do texto Aa Aa

O discurso sobre o Estado da União marca a rentrée política da União Europeia. Este ano o discurso é especialmente importante, porque para além de ser o último antes das eleições europeias de março de 2019, a tendência eurocéptica no seio da união está a aumentar.

O caso notório mais recente é o da Itália. A tomada de posse do novo governo italiano há pouco mais de três meses, foi um facto inédito pois foi a primeira vez que um governo populista subiu ao poder num dos países fundadores da União Europeia. Este é um governo de coligação entre o Movimento de Cinco Estrelas, movimento anti-sistema nascido e criado na internet e o partido nacionalista de direita Liga Norte, com uma retórica populista e discurso anti-imigração.

A Liga tem cumprido o seu programa eleitoral, com medidas de combate a imigração ilegal como a do encerramento dos portos a embarcações de organzações não governamentais de resgate de imigrantes no Mediterrâneo, tais como o navio Aquarius. Estas medidas estão na origem da popularidade do ministro do Interior Matteo Salvini e da Liga Norte que, segundo as últimas sondagens, é presentemente o maior partido político da Itália.

A Itália pode eventualmente servir de exemplo para outros países europeus, tal como a Suécia, a Hungria ou a Áustria, onde partidos anti-União Europeia e anti-imigração têm vindo a ganhar terreno.

Assim, no seu discurso sobre o Estado da União na quarta-feira perante o parlamento europeu, o Presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Juncker está perante um desafio difícil, já que terá que oferecer respostas convincentes para o problema da migração e reconquistar o apoio dos eurocépticos para o projecto europeu.