Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Eurodeputados moderados defenderam maior unidade

Eurodeputados moderados defenderam maior unidade
Direitos de autor
REUTERS/Vincent Kessler
Tamanho do texto Aa Aa

Os partidos moderados no Parlamento Europeu estão alinhados com Jean-Claude Juncker na defesa de maior unidade europeia, tema que foi central no discurso do presidente da Comissão Europeia sobre o estado da União, quarta-feira, em Estrasburgo.

Não diga disparates sobre um continente onde 20 milhões de pessoas morreram como vítimas do nacionalismo e do populismo

Guy Verhofstadt Eurodeputado, liberal, Bélgica

Mas o eurodeputado alemão que é líder do centro-esquerda, Udo Bullman, não deixou de criticar o presidente da Comissão Europeia: "Consideramos que é um escândalo aquilo que testemunhámos, outra vez, este verão, no mar Mediterrâneo. É repugnante ver pessoas a afogarem-se".

"A missão da União Europeia também é salvar as pessoas, mas não há nenhum porto seguro por causa do governo italiano de extrema-direita. Esta também é a missão do presidente da Comissão", acrescentou Bullman.

Os ultraconservadores defenderam que o aumento do nacionalismo em alguns países da União Europeia mostra que é preciso menos intervenção das instituições europeias, sedeadas em Bruxelas.

O eurodeputado belga Guy Verhofstadt, líder dos liberais, mostrou-se indignado com um colega polaco dessa família política: "O senhor Legutko diz que pertence a um mundo diferente do de Jean-Claude Juncker. Muito bem, não tenho problemas com isso. Mas não diga disparates sobre um continente onde 20 milhões de pessoas morreram como vítimas do nacionalismo e do populismo, que o senhor defende hoje."

A forma como se fará a saída do Reino Unido da União também foi um tema forte, com o eurodeputado alemão Manfred Weber, líder do centro-direita, a enviar um aviso para o governo de Theresa May.

"Londres não consegue dar-nos uma resposta clara, logo a União Europeia está unida e o governo de Londres está em apuros", afirmou Weber.