Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Caso Skripal: Suspeitos dizem-se inocentes e Londres acusa Moscovo

Caso Skripal: Suspeitos dizem-se inocentes e Londres acusa Moscovo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os dois cidadãos russos apontados como sendo a dupla acusada pelo governo britânico como principais suspeitos pelo envenenamento com o gás neurotóxico Novichok dos Skripals, em Salisbury, no Reino Unido, garantem estar inocentes. Londres rejeita a credibilidade da dupla.

Assumindo-se como Alexander Petrov e Ruslan Boshirov, os nomes dos dois suspeitos acusados pelas autoridades britânicas da tentativa de assassinato do ex-espião russo Sergei Skripal e da filha deste, Yulia, os dois homens foram entrevistados pela estação Russia Today (RT), confirmaram ter estado em Salisbury, mas apenas em turismo.

Durante a entrevista, a chefe de redação da RT, Margarita Simonyan, disse a ambos que os sentia nervosos.

Ruslan Boshirov, um dos suspeitos, retorquiu: "E como ficaria quando toda a sua vida é revirada de cima a baixo num único momento?"

Margarita Simonya referiu as imagens de videovigilância, descrevendo a parca e o fato-de-treino usados por um dos visados, e perguntou-lhes diretamente: "São vocês?"

Perante a resposta afirmativa de ambos, Margarita Simonyan prosseguiu: "O que estavam a fazer ali?"

Alexander Petrov disse terem sido convidados por "amigos" para visitarem a "magnífica cidade" de Salisbury. A jornalista admirou-se pelo elogio à localidade e Boshirov disse tratar-se de "uma cidade turística" para reforçar o alegado interesse turístico que a mesma lhes terá despertado.

Os dois homens são descritos pelo governo britânico como agentes dos serviços secretos da Rússia e a entrevista à RT é vista em Londres como um exemplo da habilidade russa para ludibriar e mentir.

Fonte anónima do executivo de Theresa May é citada pela Reuters a afirmar que "o governo está certo de que estes homens são oficiais dos serviços secretos russos, o GRU, que usaram uma toxina devastadora, uma arma química ilegal, nas ruas do" Reino Unido.

Boshirov e Petrov garantem ter viajado em turismo para Londres e terão ido a Salisbury apenas para visitar a catedral local. Ambos garantem estar a ser vítimas de uma "coincidência fantástica."

O frio braço-de-ferro diplomático entre Londres e Moscovo prossegue.