Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Estados Unidos elogiam acordo entre as duas Coreias

Estados Unidos elogiam acordo entre as duas Coreias
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A cimeira de três dias entre o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, chegou ao fim, mas os efeitos do acordo militar entre os dois países já são visíveis.

O compromisso assinado para a redução da possibilidade de conflitos na fronteira foi o primeiro sinal. No entanto, o anúncio de desmantelamento do centro de testes de mísseis de Tongchang-Ri e a abertura para encerrar as instalações nucleares de Yongbyon, consideradas fundamentais no programa nuclear norte-coreano, levaram já os Estados Unidos a saudar o acordo.

Washington mostrou-se disponível para retomar as negociações para a desnuclearização da península coreana até janeiro de 2021, negociações essas que estavam praticamente paradas desde junho.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, revelou já ter mesmo convidado o homólogo de Pyongyang para uma reunião em Nova Iorque.

“Os Estados Unidos felicitam o Presidente [sul-coreano] Moon Jae-in e o Presidente [norte-coreano] Kim Jong-un pelo resultado positivo da sua cimeira em Pyongyang”, declarou, saudando o facto de os dois dirigentes terem “reafirmado” o compromisso para uma “desnuclearização completa da Península Coreana”.

Além da reação positiva dos Estados Unidos, Kim Jong-un comprometeu-se também a ser o primeiro líder norte-coreano a visitar brevemente Seul.