EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Brexit: ponto da situação em Calais

Brexit: ponto da situação em Calais
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente do porto de Calais afirmou que sem um acordo não vê alternativa às filas intermináveis de veículos em ambos os lados do canal da Mancha.

PUBLICIDADE

O porto de Calais é um dos mais movimentados na costa norte da França. São muitos os barcos que fazem diáriamente a travessia entre Calais e Dover e outros portos no Reino Unido.

Se falarmos com as pessoas sobre o que prevêem no caso de não haver acordo entre a União Europeia e o Reino Unido para o Brexit, existe um grupo que descreve um cenário apocalíptico, com camiões parados no porto e impedidos de fazer a travessia por barco ou através do túnel sem passarem antes por uma série de controlos que afetarão o fluxo do transporte, enquanto no outro extremo existem os pró-brexit, que defendem que haverá um distúrbio a curto-prazo mas que este será para bem.

Mas a verdade é ninguém sabe exatamente o que irá acontecer pois no momento não há um acordo que definar os controlos alfandegários a efectuar no porto.

As autoridades portuárias estão a levar o assunto a sério e tencionam adquirir em conjunto com o governo regional uma extensão de 17 hectares de terreno para acomodar armazéns de logística e áreas para controlos sanitários. mas mostram-se ansiosos por obter respostas de Bruxelas e de Londres sobre o futuro das operações do porto de forma a evitar uma situção descontrolada de caos.

O presidente do porto de Calais afirmou esta manhã que sem um acordo não vê alternativa às filas intermináveis de veículos em ambos os lados do canal da Mancha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

França e Reino Unido acertam estratégia de combate à migração ilegal

Criança de 7 anos morre em naufrágio de barco com migrantes que tentava atravessar Canal da Mancha

Mortes de migrantes no Canal da Mancha levantam questões em Londres e Paris