Última hora

Última hora

Dez mortos por causa da tromba de água e cheias em Maiorca

Em leitura:

Dez mortos por causa da tromba de água e cheias em Maiorca

Dez mortos por causa da tromba de água e cheias em Maiorca
Tamanho do texto Aa Aa

Estradas intransitáveis, carros destruídos, avultados danos materiais, uma dezena de mortos, pelo menos, três feridos e mais de 200 desalojados, para já. É o balanço negro resultante de uma tromba de água e de inundações que se seguiram na ilha espanhola de Maiorca.

Nada fazia prever um impacto tão forte como explicaram à Euronews vários habitantes locais.

"Fiquei muito assustada. A água subiu no espaço de 2 a 3 minutos. Subiu até 1 metro. Tivemos de esperar até não existir mais água dentro da casa. Resta-me um quarto, no andar superior. Fiquei sem frigoríficos, sem as camas das crianças. O carro que se encontrava na garagem está avariado e não sabemos onde está o outro. Um desastre", lamenta Isabel Rosselló.

José Guerrero acrescenta: "Não esperava uma coisa destas. A forma como ficaram as ruas. Foi incrível. Nunca vi uma coisa assim na ilha e vivo aqui há 60 anos."

O Presidente do Governo espanhol, Pedro Sánchez, foi ao terreno para ver com os próprios olhos a real dimensão da tragédia. Juntamente com a Presidente do Governo das ilhas Baleares, Francina Armengol, anunciou a declaração de zona de catástrofe, para que a região possa receber mais ajuda.

"Estamos chocados. O importante é mostrar empatia, estar perto das pessoas e mostrar o compromisso das autoridades para que possam ajudar as pessoas a recuperar as rotinas e em especial encontrar os que se encontram desaparecidos", sublinhou Pedro Sánchez.

As autoridades trabalham em contrarrelógio para encontrar desaparecidos, entre eles um menino de cinco anos, como testemunhou o correspondente da Euronews, Manuel Ferrera Nieto.