Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Uma "tragédia pessoal" para todos em Querche

Uma "tragédia pessoal" para todos em Querche
Direitos de autor
REUTERS/Pavel Rebrov
Tamanho do texto Aa Aa

Durante toda a noite, familiares e amigos das vítimas do ataque na Escola Politécnica de Querche, na Crimeia, concentraram-se junto à morgue, onde os corpos foram progressivamente identificados.

Uma equipa de médicos e psicólogos oferecia assistência aos presentes.

Uma das psicólogas, Tatyana, explica que tentam "encontrar palavras reconfortantes, oferecer ajuda profissional juntamente com o pessoal médico, mas é muito difícil comunicar, sobretudo com crianças que perderam familiares numa idade tão jovem".

Com as autoridades omnipresentes nas ruas da cidade e entre homenagens improvisadas às vítimas, o sentimento dominante é de luto e incredibilidade. Entre ira e lágrimas, os habitantes de Querche tenta agora perceber as razões do crime, já classificado como o "Columbine" ucraniano.

Elena Savelova diz que perderam "crianças e outros familiares. A cidade e o país estão de luto. Não se trata das crianças dos outros: cada pessoa considera esta tragédia como uma perda pessoal".

A correspondente da euronews, Galina Polonskaya, está em Querche e explica que "a estrada para a escola politécnica está bloqueada, as investigações estão em curso e já for erguido um memorial, com flores e livros escolares, como símbolos do luto pelos que perderam a vida a meio de um dia de escola".