Última hora

Última hora

Chita: encruzilhada de culturas na Sibéria

Em leitura:

Chita: encruzilhada de culturas na Sibéria

Chita: encruzilhada de culturas na Sibéria
Tamanho do texto Aa Aa

Nesta edição de Follow us in Siberia, vamos continuar a descobrir as cidades e os habitantes da Sibéria. Desta vez, visitámos Chita, capital da região de Transbaikal.

"Chita é uma das maiores cidades do Leste da Sibéria. A célebre ferrovia Transiberiana passa por aqui, ligando dois continentes, a Europa e a Ásia. Devido à sua posição geográfica Chita tem sido sempre uma encruzilhada de culturas", sublinhou Sergey Sherbakov, da euronews.

O programa Follow us in Siberia organizado pela empresa Norilsk Nickel convida autores de blogues de vários países do mundo a descobrir a Sibéria e a participar num curso universitário.

A região faz fronteira com dois países, a China e a Mongólia, o que influencia profundamente a cultura local. Em Chita, podemos encontrar a mais antiga Igreja de madeira do leste da Rússia e o maior templo budista do país.

O budismo chegou à região no século XVI e está profundamente enraizado entre o povo Buryat.

"O templo Aginsky datsan representa todas as tradições e costumes do povo Buryat. É a continuidade da nossa cultura e é um orgulho para nós", explicou Cidip Lama.

"Gostei do templo com influência mongol e conheci pessoas fantásticas na Sibéria. Estou contente por ter estado aqui", contou a participante do Peru, Ana Lucia Rodriguez, autora de um blogue.

A tradição do tiro com arco

Hoje, não é necessário caçar para poder sobreviver na Sibéria, mas, o tiro com arco faz parte da cultura dos povos da região de Transbaikal. Alexander Dambaev arrecadou vários títulos de campeão de tiro com arco da Rússia e da Europa.

"O tiro com arco está no sangue do povo Buryat. O espírito dos nossos antepassados ajuda-nos quando estamos a atirar para um alvo", frisou Alexander Dambaev.

Durante séculos, a Sibéria viveu de forma relativamente isolada devido à sua situação geográfica. Hoje, a situação mudou. Eugenia Mezenina, fundou uma escola para ensinar às crianças os princípios da engenharia e da robótica.

"Hoje, a situação geográfica da Sibéria deixou de ser uma barreira ao desenvolvimento do pensamento técnico e das tecnologias modernas", disse Eugenia Mezenina, fundadora do centro para crianças Zablab.

A natureza é outra das grandes riquezas da região russa.

"Em Chita, há uma das chamadas linha de separação de águas porque é precisamente na região de Transbaikal que se situam as nascentes de três grandes rios, o Amur, o Lena e o Yenisei. As águas percorrem milhares de quilómetros para desaguar nos oceanos Ártico e Pacífico", explicou Sergey Sherbakov.

''As pessoas da Sibéria são simpáticas e interessam-se por diferentes culturas", contou Anica Kolic, autora de um blogue, vinda da Croácia.

A viagem a Chita foi a ocasião para aprender a cozinhar Buuz, um prato tradicional do povo Buryat. A visita terminou com um espetáculo de teatro. Os participantes assistiram à representação de uma peça de Anton Tchekov, um autor para quem a Sibéria era uma terra poética.