Última hora
This content is not available in your region

Dono da Topshop acusado de assédio sexual

Dono da Topshop acusado de assédio sexual
Tamanho do texto Aa Aa

Assédio sexual, racial e bullying - são estas as acusações feitas contra o multimilionário do retalho Philip Green. O proprietário de cadeias de vestuário foi acusado no Parlamento britânico de usar acordos legais para ocultar acusações de assédio sexual.

O privilégio parlamentar permite que os deputados digam o que quiserem durante o processo parlamentar, sem o risco de serem acusados por difamação.

O jornal britânico, The Telegraph, passou oito meses a investigar denúncias de bullying, intimidação e assédio sexual, mas só agora foi revelado o nome de Philip Green. Green é dono da Topshop, Dorothy Perkins e Miss Selfridge - cadeias de lojas de de sucesso.

O jornal informou que cinco membros da equipa disseram ter recebido "quantias substanciais" se concordassem em não revelar as alegadas experiências nas mãos de Green.

A popularidade do empresário começou a cair com o encerramento da cadeia britânica de armazéns BHS que encerrou as 164 lojas e suprimiu, aproximadamente, 11 mil empregos. Philip Green, com a reputação manchada, nega "categoricamente" todas as acusações.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.