Última hora

Última hora

Milhares de feridos sírios recebem próteses

Em leitura:

Milhares de feridos sírios recebem próteses

Milhares de feridos sírios recebem próteses
Tamanho do texto Aa Aa

Ahmet, um menino sírio de 11 anos, foi vítima de um bombardeamento aéreo na Síria, no ano passado e iniciou, recentemente, a fase de reeducação, para aprender a caminhar com as próteses feitas à medida num centro da Turquia, em Reyhanli, perto da fronteira síria.

O centro abriu as portas em 2013. Desde então, acolheu milhares de refugiados. Em cinco anos foram fabricadas 6500 próteses. O pessoal do centro vem sobretudo da Síria já que o projeto foi lançado por médicos da diáspora síria.

Desde o ano passado, o centro é apoiado pela ajuda humanitária da união europeia em parceria com a ONG Relief International.

Depois de tiradas as medidas do paciente, é necessário uma semana para fabricar e testar as próteses. Só depois começa o trabalho de reeducação. Os refugiados que foram amputados abaixo do joelho devem seguir no máximo duas semanas de reeducação. Os casos mais complexos exigem vários meses de exercícios.

O centro recebe, em média, dois novos pacientes por semana. Todos os meses, há 120 pessoas que terminam a reeducação. Atualmente há 600 pessoas em lista de espera que não poderão receber a prótese antes de seis meses.

Não há dados fidedignos sobre o número de sírios feridos em sete anos de guerra. Mas uma coisa é certa: o conflito sírio deixou cicatrizes profundas em toda uma geração.