Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Torre Eiffel às escuras em memória dos jornalistas mortos

Torre Eiffel às escuras em memória dos jornalistas mortos
Tamanho do texto Aa Aa

2 de novembro: Dia internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas. A data foi criada pelas Nações Unidas há 5 anos.

As luzes da Torre Eiffel, em Paris, apagaram-se durante um minuto em memória dos jornalistas mortos. Momento para o Secretário-geral dos Repórteres Sem Fronteiras lançar um apelo: "O assassinato de jornalistas tem de acabar," disse Christophe Deloire.

De acordo com a organização, morreram 1066 jornalistas em 15 anos. Desde o início do ano são já 77 pessoas, incluindo colaboradores e colunistas.

Para além das mortes, as notícias de violações de direitos humanos e da liberdade de expressão contra profissionais da comunicação social tem também aumentado.

A UNESCO revela que 9 em cada 10 crimes contra os jornalistas ficam impunes.

Para assinalar o dia, a UNESCO lançou uma campanha: #TruthNeverDies - a verdade nunca morre.

O objetivo é encorajar a publicação de artigos redigidos por ou em homenagem a jornalistas assassinados no exercício da sua profissão.