Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ministro da Defesa de Israel demite-se

Ministro da Defesa de Israel demite-se
Tamanho do texto Aa Aa

A celebração pelo cessar-fogo, foi de curta duração em Israel. Avigdor Lieberman, ministro da Defesa do governo de coligação do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, anunciou a sua demissão do cargo em protesto contra a trégua acordada entre Israel e palestinianos:

"O cessar-fogo de ontem, acordado com o Hamas, é uma derrota a favor do terror. Não há outra maneira de defini-lo, é uma vitória do terror. O que estamos a fazer, atualmente, como país é comprar uma tranquilidade de curto prazo ao preço de danos, a longo prazo, para a segurança nacional", afirmou Avigdor Lieberman.

A saída de Lieberman enfraquece a posição de Benjamin Netanyahu e do seu governo de coligação já que o partido de Lieberman, de extrema-direita, abandona o executivo. Há quem acredite que este "volte face" levará o chefe do governo israelita a recorrer a eleições antecipadas, ainda que o escrutínio deva acontecer em 2019, outros pensam que será Netanyahu a assumir a Defesa o que poderá levar a outra crise no executivo já que outro dos partidos do bloco pretende assumir o lugar.

Para o Hamas "A demissão de Lieberman é um reconhecimento da derrota face à crescente força da resistência palestiniana". Declarações do porta-voz Sami Abu Zuhri que acrescentou que isso reflete uma maior fraqueza por parte de Israel.