Última hora

Última hora

Macron: "aliado, mas não vassalo" dos EUA

Macron: "aliado, mas não vassalo" dos EUA
Tamanho do texto Aa Aa

A França é um país "aliado, mas não vassalo" dos Estados Unidos e "entre aliados deve-se o respeito": palavras do presidente francês em resposta à série de "tweets" agressivos do homólogo norte-americano.

Donald Trump criticou nomeadamente a proposta de Emmanuel Macron de criar um exército europeu, comentou de forma pouco diplomática a ocupação nazi da França até à libertação por parte dos aliados e destacou o "bastante baixo índice de popularidade" do chefe de Estado francês no seu país.

Numa entrevista a bordo do porta-aviões Charles de Gaulle, Macron disse: "Ele está a jogar à política norte-americana e eu deixo-o jogar. Não me compete e penso que não é o que esperam de mim os nossos cidadãos. [...] O que é preciso compreender é que os Estados Unidos são um aliado histórico e continuarão a sê-lo. São o aliado com o qual assumimos todos os riscos e com o qual conduzimos as mais complicadas operações. Ser um aliado não significa ser um Estado vassalo. Para não ser o vassalo, não devemos depender deles e, nomeadamente em relação aos norte-americanos, devemos fazer mais nós mesmos, como franceses e como europeus."

Macron voltou a explicar o seu projeto de exército europeu, frisando que em matéria de Defesa a Europa está demasiado dependente dos Estados Unidos. O presidente francês já tinha dito que a autonomia passaria nomeadamente pela compra de material europeu em vez de norte-americano, algo visto com maus olhos por Trump, bastante focado na balança comercial.