Última hora

Última hora

Governo romeno sobrevive a moção de desconfiança

Governo romeno sobrevive a moção de desconfiança
Tamanho do texto Aa Aa

O governo da Roménia sobreviveu a uma moção de desconfiança. Numa altura em que o país enfrenta uma crescente crise política a poucos dias de assumir a presidência rotativa da União Europeia. É uma luta interna pelo poder com as relações fundamentais do país com a Europa em jogo.

"A coligação no poder e o governo da Roménia sobreviveram ao voto de desconfiança, aqui no Parlamento, hoje, mas isso não significa que a crise política acabou, é preciso estar atento ao desenrolar das coisas antes de primeiro de janeiro, altura em que o país deve assumir a presidência rotativa da União Europeia", explica a jornalista da euronews, Mari Jeanne Ion.

Apesar de todos os críticos, a primeira-ministra Viorica Dancila pretende assumir as principais funções da UE sem problemas."A Roménia está pronta (para assumir a presidência da UE) e esta moção não tem nada a ver com isso. Deveríamos pensar primeiro no significado de uma boa Presidência: significa responder ao maior numero de desafios possível e temos muitos: o Brexit, o futuro da UE, orçamentos, a migração... Uma boa Presidência significa estar pronta do ponto de vista organizacional e logístico A Roménia está bem preparada. Todas as instituições europeias reconhecem que a Roménia está pronta para assumir a presidência rotativa da UE".

A Roménia tem assistido a tensões políticas desde a revolução que pôs fim ao regime comunista. É uma luta interna pelo poder com as relações fundamentais do país com a Europa em jogo.

O antigo primeiro-ministro, Victor Ponta diz que: "a Roménia está pronta, mas o Governo não está pronto, pelo contrário. Vou dar o exemplo mais fácil, não conseguiram apresentar o orçamento para 2019 (e respeitar o défice). Que mensagem é que a Roménia e o Governo estão a fazer passar? Que o nacionalismo antieuropeu e populista está agora no governo da Roménia".

A poucos dias de Bucareste assumir a presidência rotativa da União Europeia, Bruxelas olha para o país com ansiedade.