Última hora

Última hora

"Michael 50" abre portas para celebrar Schumacher

"Michael 50" abre portas para celebrar Schumacher
Tamanho do texto Aa Aa

Na semana em que Michael Schumacher celebrou meio século de vida, a Ferrari inaugurou uma nova exposição sobre o piloto alemão e que se vem juntar a uma outra aberta ao público em Colónia, na Alemanha, desde junho.

Numa altura em que pouco se sabes da saúde do lendrio heptacampeão de Fórmula 1, após o acidente de esqui sofrido há cinco anos, "Michael 50" abriu portas no próprio museu da marca do cavalinho, em Maranello, no norte de Itália.

A mostra da Ferrari pretende dar a conhecer " a história e a extraordinária carreira" de Schumacher, também já em exibição no Motorworld de Colónia.

Esta outra exposição, que integra uma coleção particular de artefactos do piloto, motivou mesmo uma rara manifestação pública do clã Schumacher, com o o lançamento de uma "app" que permite visitar de forma virtual a mostra de Colónia.

Ralf Foerster passou esta semana pela exposição da "Coleção Privada Michael Schumacher" e, como grande admirador do heptacampeão de Fórmula 1 , este visitante considera "correto" que a família se mantenha "discreta" sobre o estado de saúde daquele que muitos descrevem como o melhor piloto automóvel de todos os tempos.

"Sou um grande admirador do 'Shumi' e não sei se gostaria de ver como ele está agora. É uma situação difícil, mas fico feliz por poder ver esta coleção exposta. É incrível o que conseguiram juntar", enalteceu Ralf Foerster.

Sete vezes campeão do mundo, cinco delas pela Ferrari, e vencedor de 91 grandes prémios incluídas nas 155 presenças em pódios, Michael Schumacher tornou-se numa auténtica lenda viva do automobilismo.

Competiu na mais alta disciplina das quatro rodas durante duas décadas e despediu-se das pistas em 2012, após três épocas modestas na conterrânea Mercedes. Na despedida, ficou mesmo fora do top-10.

A 29 de dezembro de 2013, Michael Schumacher sofreu um grave acidente de esqui na estância de Meribel, nos Alpes franceses, quando descia uma pista na companhia do filho, Mick, então com 14 anos. O mundo do desporto ficou em choque.

A recuperação tem sido mantida em segredo e pouco se sabe do estado de saúde do piloto, que terá ficado pelo menos vários meses em coma.

Recentemente, para refutar rumores que davam conta de 'Schumi' já ter conseguido voltar a dar alguns passos, um advogado da família veio a público esclarecer que o antigo piloto "não consegue andar."