Hungria à beira da greve geral contra "Lei da Escravidão"

Hungria à beira da greve geral contra "Lei da Escravidão"
Direitos de autor  REUTERS/Bernadett Szabo
De  Ricardo FigueiraBeatrix Asboth
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Milhares de pessoas juntaram-se em Budapeste contra as leis laborais do governo de Viktor Orbán.

PUBLICIDADE

Contra as novas leis de trabalho do governo da Hungria, que muitos classificam como "leis de escravidão", milhares de pessoas manifestaram-se este sábado na Praça dos Heróis, em Budapeste. O protesto juntou os sindicatos e todos os partidos da oposição, da esquerda à direita. As leis permitem fazer até 400 horas extraordinárias por ano, sendo que os patrões têm até três anos para as pagar. O próximo passo do protesto pode ser a greve.

A marcha seguiu da Praça dos Heróis até ao parlamento. Na praça Kossuth, onde fica a Assembleia, juntaram-se 10.000 pessoas. A Confederação de Sindicatos lançou um ultimato ao governo de Viktor Orbán: Tem cinco dias para nomear um comité de negociação e mais sete dias para aceitar as condições. Caso contrário, há greve geral.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Oposição na Hungria apela à realização de eleições antecipadas

Hungria recusa prisão domiciliária para ativista antifascista italiana

Novo inimigo político de Orbán divulga alegadas provas de corrupção