Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": Eleições europeias, Irão, Turquia e Ryanair

"Breves de Bruxelas": Eleições europeias, Irão, Turquia e Ryanair
Direitos de autor
REUTERS/Vincent Kessler
Tamanho do texto Aa Aa

Novas alianças e pactos começam a formar-se para as eleições europeias, no final de maio. Bruxelas foi palco de uma manifestação de partidos de esquerda da Hungria, terça-feira à noite, que negociam uma eventual coligação para derrotar o Fidesz, partido populista de direita do primeiro-ministro Viktor Orbán.

Por outro lado, os líderes da coligação populista italiana também buscam novos apoios internacionais, com Matteo Salvini (Liga) a dialogar com o homólogo na Polónia, Jarosław Kaczyński (líder do partido Lei e Justiça, no poder), e Luigi di Maio (Movimento 5 Estrelas), a deslocar-se a Bruxelas para falar com interlocutores da Croácia e da Finlândia, entre outros.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O Irão já anunciou que vai retribuir a decisão da União Europeia, quarta-feira, de adicionar dois indivíduos e uma entidade ligada aos serviços secretos na lista de terroristas, congelando os seus ativos financeiros.
  • A jornalista turca Pelin Ünker, do jornal Cumhuriyet, foi condenada a 13 meses de prisão por causa de ter participado na investigação internacional sobre paraísos fiscais offshore, conhecida por Paradise Papers.
  • Os membros da tripulação de cabine da Ryanair em Espanha cancelaram uma greve para a próxima quinta-feira e domingo. Os sindicatos Sitcpla e USO chegaram a acordo com a companhia aérea irlandesa de baixo custo.