Última hora

Última hora

Deputados britânicos dizem "Não" ao acordo para o Brexit

Anti & pro-Brexit protesters argue outside the Houses of Parliament
@ Copyright :
HENRY NICHOLLS - Reuters
Tamanho do texto Aa Aa

O parlamento britânico chumbou de forma expressiva a proposta de acordo para o Brexit apresentada pelo governo de Theresa May.

432 deputados votaram contra e apenas 202 mostraram-se a favor, muito longe dos 318 que Theresa May precisava para fazer passar o documento.

Foi a maior derrota de sempre de um primeiro-ministro na Câmara dos Comuns e Theresa May lamentou o desfecho.

"É claro que a Câmara não apoia este acordo, mas a votação desta noite não nos diz nada sobre o que apoia. Nada sobre como ou mesmo se pretende honrar a decisão tomada pelo povo britânico num referendo que o Parlamento decidiu realizar. E as pessoas e, em particular, os cidadãos da União Europeia que fizeram a sua casa aqui e os cidadãos do Reino Unido que vivem na União Europeia merecem um esclarecimento o mais rapidamente possível. Sempre acreditei que o melhor caminho para o futuro é sair de uma maneira ordenada e com um bom acordo."

A primeira consequência do chumbo foi a apresentação de uma moção de censura ao governo de Theresa May.

A moção foi apresentada pelo líder da oposição, Jeremy Corbyn, e vai a votos já esta quarta-feira, às 19h00 locais.

"Esta é uma derrota catastrófica para este governo. Apresentei agora uma moção de censura a este governo e congratulo-me com o facto de a moção ser debatida esta quarta-feira, para que esta assembleia possa dar o seu veredito sobre a incompetência deste governo e aprovar essa moção de censura ao governo", afirmou o líder do Partido Trabalhista.

Apesar do 'não rotundo' a Theresa May neste chumbo, não é linear que os conservadores - incluindo os 118 deputados do partido que votaram hoje em sinal contrário à proposta - façam cair a sua líder no parlamento.

Com efeito, os aliados irlandeses do DUP, que têm suportado a maioria conservadora no Parlamento britânico, já declararam que vão votar ao lado de Theresa May na moção de censura, apesar de hoje se terem juntado aos partidos da oposição no chumbo à proposta de acordo.

Em sentido inverso, os restantes partidos da oposição (Trabalhistas, SNP, Liberais Democratas, Verdes e Plaid Cymru)