Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Rahaf, a jovem que quer libertar as mulheres sauditas

Rahaf, a jovem que quer libertar as mulheres sauditas
Tamanho do texto Aa Aa

É a primeira entrevista de uma mulher livre. Finalmente em segurança no Canadá, país que lhe ofereceu asilo, Rahaf Mohammed al-Qunun, de 18 anos, conta como foi crescer na Arábia Saudita e, sobretudo, enfrentar a própria família.

As mulheres sauditas são tratadas como escravas.

Rahaf Mohammed al-Qunun Jovem saudita refugiada no Canadá

"Fecharam-me num quarto durante seis meses só porque cortei o cabelo. Fiquei com um ar mais masculino e o Islão não permite que uma mulher se pareça com um homem. Isso justificou mais violência física por parte da minha mãe e do meu irmão", revela.

A família de Rahaf renegou-a publicamente depois de a jovem ter fugido para Banguecoque, onde se fechou num quarto de hotel até o primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, a resgatar.

"As mulheres sauditas são tratadas como escravas. Não podemos tomar nenhuma decisão relativamente ao casamento, aos nossos estudos, aos nossos empregos", explica.

Rahaf revela que pensou várias vezes em suicidar-se para escapar. Hoje em dia, pensa em partilhar a sua experiência para ajudar outras mulheres a fugirem da Arábia Saudita.