A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Sergey Lavrov: "A Rússia apenas observa o processo do Brexit"

Sergey Lavrov: "A Rússia apenas observa o processo do Brexit"
Direitos de autor
REUTERS/Denis Balibouse
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Sergey Lavrov pediu aos Estados Unidos mais "sentido de responsabilidade" na abordagem das grandes questões internacionais que afetam o mundo.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa respondia às questões dos jornalistas durante a conferência de imprensa anual do seu ministério, em Moscovo.

Lavrov referiu-se ao caso do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio, que Moscovo se comprometeu a defender.

O Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio ou NIF, no acrónimo em inglês - Intermediate-Range Nuclear Forces - foi assinado por Washington e Moscovo em 1987, tendo entrado em vigor em junho de 1988, no final da Guerra Fria.

Três décadas depois, Sergey Lavrov diz que a Rússia está pronta "para trabalhar pelo tratado Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio."

"Esperemos que o sentido de profissionalismo ganhe importância em Washington nas suas abordagens em temas de estratégia e de estabilidade. Precisamos de profissionalismo e de responsabilidade perante a Comunidade Internacional."

Rússia "pouco interessada" no Brexit

À Euronews, o ministro russo dos Negócios Estrangeiros disse que Moscovo nada tem a ver com o processo do Brexit e que a Rússia apenas observa, aberta a cooperar com todos os países.

"Falando desse cenário, a verdade é que não estamos tão interessados como isso no tema. Essa é a forma de agir de outros países e de outros políticos, que desejam interferir e manipular processos de Estados terceiros. Nós não fazemos isso. Vamos ver o que acontece," explicou Sergey Lavrov.

"Claro que estamos prontos para colaborar com a União Europeia e com o Reino Unido, se o Reino Unido deixar a União," acrescentou.

Depois do referendo do Brexit, a Rússia foi acusada de influenciar os resultados para dividir a União Europeia.