EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

EUA suspendem acordo nuclear com a Rússia

EUA suspendem acordo nuclear com a Rússia
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Washington anuncia saída do tratado de armas nucleares assinado com Moscovo em 1987. NATO declara "apoio total" à decisão.

PUBLICIDADE

Os Estados Unidos vão mesmo suspender o acordo de armas nucleares que Reagan e Gorbachov assinaram em 1987. O chamado Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio é considerado uma das conquistas maiores do período pós-Guerra Fria. Donald Trump acusa Moscovo de produzir "mísseis, lançadores e equipamento que violam o texto acordado".

Mas o representante diplomático americano diz que a porta das conversações não está encerrada. "Nós demos à Rússia um período alargado para corrigir o caminho e honrar os compromissos que existem. Esse prazo termina este sábado. A Rússia recusou dar qualquer passo efetivo ao longo destes 60 dias. Por isso, os Estados Unidos vão suspender as suas obrigações a partir do dia 2 de fevereiro", afirma Mike Pompeo.

A NATO manifestou um "apoio total" a esta decisão de Washington face, citamos um comunicado, "aos riscos significativos colocados pela Rússia à segurança euro-atlântica". Moscovo responde assim.

"Trata-se de um rude golpe contra o sistema de controlo de armas e de não-proliferação que ainda existe. Provavelmente, estão a começar uma corrida às armas para tentar esgotar-nos economicamente. Mas aquilo que ainda não entenderam é que nós aprendemos com as lições do passado e, qualquer que seja a nossa resposta ao desafio, será viável do ponto de vista económico", sublinha Sergey Ryabkov, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia.

O tratado em questão interdita o uso de mísseis terrestres, com capacidade para transportar ogivas nucleares, com um alcance de 500 a 5500 quilómetros.

A Rússia é acusada de instalar um sistema de mísseis de cruzeiro junto às fronteiras europeias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia diz que EUA põem segurança em risco

Zelenskyy assina acordo em Bruxelas antes de viajar para Lisboa esta terça-feira

Stoltenberg pede a membros da NATO que reconsiderem limites no envio de armas para a Ucrânia