A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Venezuela: "90% das forças armadas não estão com Maduro"

Venezuela: "90% das forças armadas não estão com Maduro"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No ano em que se comemora os 20 anos da revolução da Venezuela, o centro de Caracas encheu-se de milhares de pessoas. Manifestantes anti-maduro reuniram-se para se fazer ouvir. Querem e pedem que o atual presidente do Venezuela deixe o país.

Tomam-se posições em todo lado. Até Francisco Esteban Yanez, General da Força Aérea venezuelana, partilhou um vídeo onde diz que "90% das forças armadas não estão com o ditador".

"Não reconheço a autoridade ditatorial de Nicolás Maduro e reconheço o legislador Juan Guaido como presidente interino da República Bolivariana da Venezuela.", disse. E continuou: "90% das forças armadas bolivianas não estão com o ditador, mas com o povo venezuelano.", acrescentou.

O general faz parte do grupo de milhares de pessoas que quer que Maduro abandone o país e deixa o aviso ao presidente: "O ditador tem todos os dias dois aviões prontos, que vá embora!".

Do outro, milhares de apoiantes de Maduro também estiveram presentes nas manifestações, numa epóca em que Maduro diz que a televisão não mostra a verdade.

"Nas televisões de todo o mundo, vê-se uma Venezuela que não existe.", admitiu Maduro durante o discurso que fez na manifestação.

Um dia marcado por duas partes de um mesmo país, numa voz dividida de um governo que vai pelo mesmo caminho.