Última hora

Última hora

Juan Guaidó espera mais apoio entre países europeus e nos militares

Juan Guaidó espera mais apoio entre países europeus e nos militares
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de venezuelanos em Caracas compareceram numa manifestação de apoio a Juan Guaidó, o autoproclamado presidente interino do país, que voltou a piscar o olho à Europa em busca de mais ajuda.

"A Europa apoia-nos claramente. Devo dizer que nas próximas horas receberemos muito mais apoio desses países", declarou.

O líder da Assembleia Nacional (parlamento) desafiou também os militares a fazerem parte da "reconstrução da Venezuela", em que muitos vivem em situação de miséria.

"Soldado da pátria, o teu papel é a reconstrução da Venezuela e defender os venezuelanos. Não dizemos apenas que respeitem a Constituição, estamos exigindo que não disparem contra os cidadãos", afirmou.

Segundo Guaidó, "chegou a hora" de os militares fixarem posição em relação à situação política venezuelana "e de estarem do "lado do povo", vincando que os que o fizerem vão ser beneficiados por uma amnistia.

Guaidó frisou ainda que "não há risco" e que os venezuelanos não temem uma guerra civil no país, onde prevê que rapidamente haja um governo de transição.

A reportagem da Euronews falou também com alguns dos manifestantes, como esta cidadã venezuelana, que afirmou que o "país não pode continuar assim" e que "a Venezuela é liderada por um grupo de narcotraficantes". "Não é possível que 20 milhões de pessoas morram de fome e que se leve a cabo um extermínio, porque isto é um extermínio", frisou.

A oposição a Nicolás Maduro cresce também a nível internacional, com diversas cidades europeias, como Madrid, a acolherem manifestações em defesa da saída do presidente da Venezuela.