EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Theresa May promete evitar fronteira rígida nas Irlandas

Theresa May promete evitar fronteira rígida nas Irlandas
Direitos de autor ΦΩΤΟΓΡΑΦΙΑ ΑΡΧΕΙΟΥ REUTERS
Direitos de autor ΦΩΤΟΓΡΑΦΙΑ ΑΡΧΕΙΟΥ REUTERS
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Num discurso perante empresários da Irlanda do Norte, a primeira-ministra britânica garante dar tudo por tudo para evitar o regresso de controlos fronteiriços entre as duas Irlandas depois do Brexit.

PUBLICIDADE

A dois dias da visita a Bruxelas em que vai tentar convencer Jean-Claude Juncker da necessidade de rever o acordo para o Brexit, Theresa May discursou em Belfast perante uma plateia de empresários norte-irlandeses e voltou a garantir que não quer uma fronteira física entre as duas Irlandas.

"Temos um compromisso, quer da União Europeia, quer do governo britânico, através do trabalho que estamos a fazer para o acordo de saída, que obriga os dois lados a deixar de fora a opção de uma fronteira rígida. Fomos bastante claros, enquanto governo, que faremos tudo ao nosso alcance, se houver uma saída sem acordo, para evitar a existência de fronteira física nessas circunstâncias. Com certeza, falaremos com o governo da Irlanda e com a União Europeia, se isso acontecer. Mas estamos a trabalhar para ter a certeza que saímos com um acordo e que nesse acordo está expresso o compromisso que foi feito de que não haveria fronteira rígida entre a Irlanda e a Irlanda do Norte", disse a chefe do governo britânico.

O mecanismo de salvaguarda para a fronteira irlandesa, também chamado backstop, é o principal pomo da discórdia que impediu, na Câmara dos Comuns, a aprovação do acordo entre o governo de Theresa May e a Comissão Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Merkel e Varadkar querem solução para a fronteira entre as duas Irlandas

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido