Última hora
This content is not available in your region

Edição 2019 do Festival das Luzes de Xarja

euronews_icons_loading
Edição 2019 do Festival das Luzes de Xarja
Tamanho do texto Aa Aa

Pirotecnia de alto nível, edifícios que nascem diante dos nossos olhos graças à luz e personagens de contos de fadas a desfilar numa lagoa são alguns do pontos fortes do Festival das Luzes de Xarja, um dos sete Emirados Árabes Unidos.

Entre 6 e 16 de fevereiro, o público pode contemplar vinte espetáculos em dezassete locais diferentes do Emirado. Os organizadores esperam um milhão de visitantes. O grupo francês Ilotopie apresentou um espetáculo que cruza luzes e água.

"A dada altura, decidimos que a água era o nosso palco e animamos esse espaço vazio com mitologias. Pediram-nos para fazer uma primeira parte com um espetáculo teatral antes de olharmos para o céu", explicou Bruno Schnebelin, diretor artístico do grupo Ilotopie.

A combinação entre luz e água

A relação entre o dragão e a água foi a fonte de inspiração dos artistas do Group F.

"Optámos por trabalhar a partir da imagem do dragão. Ele circula na magnífica lagoa de Xarja. Desenhámos a coreografia pirotécnica associada à música e sobretudo às cores culturais. É como se um mundo emergisse da baía de Xarja", contou Christophe Berthonneau, diretor artístico do Group F.

A Euronews falou com o presidente da autoridade de Comércio e Turismo de Xarja.

"A paixão é um dos grandes pilares do festival. Mostramos a beleza de Xarja e a nossa identidade, a essência autêntica da Arábia e dos Emirados. A Europa tem uma cultura diferente e muito rica também. Mas é muito diferente. No início, não foi fácil juntá-las e criar uma linguagem comum, levou-nos algum tempo mas agora podemos ver o resultado", sublinhou Khalid Jasim Al Midfa, presidente da Autoridade do Comércio e Turismo de Xarja.

O património cultural árabe

A artista Raphaelle Martinez criou um espetáculo em torno da iluminação das mesquitas.

"Era muito importante para mim prestar homenagem ao que descobri quando cheguei aqui: a arte do motivo, da caligrafia e a arte islâmica em geral. Xarja é uma capital cultural. Era muito importante para mim homenageá-la, tentando mostrar o maior número possível de texturas nas mesquitas que são magníficas", contou a artista Raphaelle Martinez.

"Queríamos iluminar a árvore que significa Emirados Árabes Unidos. Iluminámos cerca de 900 ramos, o que representa nove mil LED. Foi preciso um mês para fazê-lo mas conseguimos", explicou Joshua Monteath, técnico da empresa Nomada Creative Events, com sede no Dubai.