Última hora

Última hora

Grand Slam de Judo de Paris: Bárbara Timo trouxe uma medalha para Portugal

Grand Slam de Judo de Paris: Bárbara Timo trouxe uma medalha para Portugal
Tamanho do texto Aa Aa

Bárbara Timo, judoca do Benfica de origem brasileira naturalizada portuguesa, alcançou este domingo uma medalha de bronze em -70kg no Grand Slam de Paris.

A competir numa das categorias mais concorridas, a judoca teve uma exibição superlativa, somando cinco vitórias em seis combates, e na disputa pelo bronze impôs-se à marroquina Assmaa Niang com um waza ari e depois um osaekomi para ippon.

As vencedoras em -70 kg: Yoko Ono, Margaux Pinot, Bárbara Timo e Saki Niizoe.

Varlam Liparteliani revelou-se o nosso homem do dia. O judoca da Geórgia derrotou dois campeões do mundo, Cho Guham da Coréia do Sul e depois o campeão de 2017, Wolf Aaron, do Japão. O judoca foi coroado campeão em -100 kg, conquistando a que é a sua terceira medalha de ouro no Grand Slam de Paris.

"A atmosfera é de festa porque os franceses adoram o judo e também porque esta arena em Paris é incrível. Perdi a final do Campeonato do Mundo de 2018 contra Cho Guham e em 2017 perdi a final contra o Wolf Aaron. Hoje venci tanto um como o outro, por isso estou muito feliz," comentou após a sua vitória.

O Secretário Geral da Federação Internacional de Judo e Presidente da Federação Francesa de Judo, Jean-Luc Rougé, condecorou a vencedora em -78 quilos e nossa mulher do dia, Madeleine Malonga. A competir em casa, a judoca francesa fez uma exibição de judo requintado desde o início do dia até ao combate pelo ouro na final frente à alemã Luise Malzahn. Uma vitória anunciada por um coro de aplausos do público parisiense.

A judoca não podia acreditar. "É incrível, é indescritível. Senti-me como uma estrela do rock, como se fosse uma cantora perante um público a gritar o meu nome," disse.

Madeleine Malonga (-78kg)

Na final de -81kg, o atleta alemão Dominic Ressel deu luta e nunca desistiu, recuperando de um waza ari do adversário Sagi Muki, de Israel, e alcançando o ippon da vitória.

Em -70kg femininos, as emoções foram fortes. A japonesa Yoko Ono sagrou-se campeã e desfez-se em lágrimas após a sua vitória frente à francesa Margaux Pinot.

O campeão do mundo de 2015, Dong-Han Gwak , da Coreia do Sul, foi o vencedor da categoria de -90kg, marcando ippon contra Islam Bozbayev, do Cazaquistão. Gwak foi premiado com a sua medalha de ouro pelo Vice-Presidente da Federação Internacional de Judo, Sergey Soloveychik.

Houve mais uma medalha de ouro para a Coréia do Sul, desta vez pelas mãos do judoca Sungmin Kim, que derrubou o japonês Hisayoshi Harasawa por ippon na final de +100kg.

A judoca cubana Idalys Ortiz, adicionou mais uma medalha de ouro à sua incrível coleção, com a vitória em +78 quilos frente a Iryna Kinderska, do Azerbaijão.

O nosso movimento do dia surgiu numa das competições para a medalha de bronze em -90kg, quando o judoca húngaro Toth Krisztian, produziu um golpe estratagema espetacular no combate frente ao judoca de Israel Li Kochman.

Portugal, que esteve em prova com dez judocas, terminou com o bronze de Bárbara Timo e o sétimo lugar de Rochele Nunes (+78kg), medalha de bronze no Grande Prémio de Tel Aviv, que venceu os dois primeiros combates mas caiu no acesso às meias-finais frente a Idalys Ortiz.