Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Grand Slam de Judo de Paris: Bárbara Timo trouxe uma medalha para Portugal

Grand Slam de Judo de Paris: Bárbara Timo trouxe uma medalha para Portugal
Tamanho do texto Aa Aa

Bárbara Timo, judoca do Benfica de origem brasileira naturalizada portuguesa, alcançou este domingo uma medalha de bronze em -70kg no Grand Slam de Paris.

A competir numa das categorias mais concorridas, a judoca teve uma exibição superlativa, somando cinco vitórias em seis combates, e na disputa pelo bronze impôs-se à marroquina Assmaa Niang com um waza ari e depois um osaekomi para ippon.

As vencedoras em -70 kg: Yoko Ono, Margaux Pinot, Bárbara Timo e Saki Niizoe.

Varlam Liparteliani revelou-se o nosso homem do dia. O judoca da Geórgia derrotou dois campeões do mundo, Cho Guham da Coréia do Sul e depois o campeão de 2017, Wolf Aaron, do Japão. O judoca foi coroado campeão em -100 kg, conquistando a que é a sua terceira medalha de ouro no Grand Slam de Paris.

"A atmosfera é de festa porque os franceses adoram o judo e também porque esta arena em Paris é incrível. Perdi a final do Campeonato do Mundo de 2018 contra Cho Guham e em 2017 perdi a final contra o Wolf Aaron. Hoje venci tanto um como o outro, por isso estou muito feliz," comentou após a sua vitória.

O Secretário Geral da Federação Internacional de Judo e Presidente da Federação Francesa de Judo, Jean-Luc Rougé, condecorou a vencedora em -78 quilos e nossa mulher do dia, Madeleine Malonga. A competir em casa, a judoca francesa fez uma exibição de judo requintado desde o início do dia até ao combate pelo ouro na final frente à alemã Luise Malzahn. Uma vitória anunciada por um coro de aplausos do público parisiense.

A judoca não podia acreditar. "É incrível, é indescritível. Senti-me como uma estrela do rock, como se fosse uma cantora perante um público a gritar o meu nome," disse.

Madeleine Malonga (-78kg)

Na final de -81kg, o atleta alemão Dominic Ressel deu luta e nunca desistiu, recuperando de um waza ari do adversário Sagi Muki, de Israel, e alcançando o ippon da vitória.

Em -70kg femininos, as emoções foram fortes. A japonesa Yoko Ono sagrou-se campeã e desfez-se em lágrimas após a sua vitória frente à francesa Margaux Pinot.

O campeão do mundo de 2015, Dong-Han Gwak , da Coreia do Sul, foi o vencedor da categoria de -90kg, marcando ippon contra Islam Bozbayev, do Cazaquistão. Gwak foi premiado com a sua medalha de ouro pelo Vice-Presidente da Federação Internacional de Judo, Sergey Soloveychik.

Houve mais uma medalha de ouro para a Coréia do Sul, desta vez pelas mãos do judoca Sungmin Kim, que derrubou o japonês Hisayoshi Harasawa por ippon na final de +100kg.

A judoca cubana Idalys Ortiz, adicionou mais uma medalha de ouro à sua incrível coleção, com a vitória em +78 quilos frente a Iryna Kinderska, do Azerbaijão.

O nosso movimento do dia surgiu numa das competições para a medalha de bronze em -90kg, quando o judoca húngaro Toth Krisztian, produziu um golpe estratagema espetacular no combate frente ao judoca de Israel Li Kochman.

Portugal, que esteve em prova com dez judocas, terminou com o bronze de Bárbara Timo e o sétimo lugar de Rochele Nunes (+78kg), medalha de bronze no Grande Prémio de Tel Aviv, que venceu os dois primeiros combates mas caiu no acesso às meias-finais frente a Idalys Ortiz.