Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Mike Pompeo avisa Hungria sobre proximidade com a Rússia

Mike Pompeo avisa Hungria sobre proximidade com a Rússia
Direitos de autor
MTI/Szigetváry Zsolt
Tamanho do texto Aa Aa

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, foi a Budapeste pedir à Hungria para que não deixe que a Rússia crie divisões "entre os amigos e a NATO".

O chefe da diplomacia húngara ignorou os comentários relativos à proximidade entre os Governos de Budapeste e de Moscovo.

Péter Szijjaártó classificou como "enorme hipocrisia" as críticas que o Ocidente faz à Rússia pois mantém laços comerciais com Moscovo, em especial no setor da energia.

"Em relação à Rússia, há uma enorme hipocrisia a acontecer na Europa Ocidental. Há fortes críticas, mas simultaneamente estão a ser feitos acordos de milhões de euros entre a Europa Ocidental e as empresas russas. Os Estados Unidos podem contar com a Hungria como um aliado de defesa e militar", avisou Péter Szijjártó.

Mike Pompeo alertou que o Governo de Vladimir Putin não está comprometido com os valores da democracia.

Mike Pompeo explicou: "falei com o ministro dos Negócios Estrangeiros sobre o apoio urgente aos ucranianos, na sua demanda pela soberania e integridade territorial. Não devemos deixar que Putin crie uma barreira entre amigos e a NATO. Os húngaros conhecem muito bem a história e sabem que a Rússia nunca será amiga da liberdade e da soberania das nações mais pequenas ".

Segundo a Casa Branca, os Estados Unidos pretendem aumentar a cooperação económica com a Hungria. O Governo de Donald Trump pretende, também, avançar com um acordo bilateral de defesa que permita às tropas norte-americanas circularem, livremente, pelo país.

"Há quem estive à espera que o secretário Estado Pompeo se opusesse abertamente a algumas medidas do Governo húngaro. Pelo contrário, a atmosfera foi bastante amigável entre os dois, quase sem nenhum sinal de tensão", relatou o jornalista da euronews Attila Magyar.