Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Berlim mostra mundo ao mundo em feira de turismo

Berlim mostra mundo ao mundo em feira de turismo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Berlim voltou a mostrar mais mundo ao mundo na feira anual de turismo ITB. Mais de 10 mil expositores, a representar 180 países, apresentam aqui alguns dos melhores lugares para férias, as mais recentes inovações em viagens de negócios e tecnologia que estão a abalar a indústria.

Todos os destinos e experiências lutam pela atenção dos cerca de 110 mil visitantes que procuram a feira para se inspirarem antes de escolherem o próximo local de férias.

Destinos escondidos

Entre os países a apostar forte na presença nesta feira está a Índia. Um destino que atrai visitantes ano após ano, para descobrirem a magia do Taj Mahal. O ioga e o bem-estar continuam também a ser uma grande atração.

Hoje-em-dia, para se destacar no lotado mercado de viagens, a Índia está a incentivar os visitantes a irem além das atrações tradicionais, rumo às comunidades rurais.

"Há lugares no país que foram desenvolvidos para que uma pessoa possa ir e experimentar a verdadeira vida rural. Eu diria que se tratam de experiências para viver em paz com a natureza. Tudo está diretamente ligado à população, que beneficia destas ações ao ganhar mais dinheiro com os próprios recursos e ao interagirem com outras pessoas. O que estamos a tentar criar é uma vida paralela ao reboliço do mundo urbano, onde estamos sempre a correr atrás de tudo", afirma o Secretário do Ministério do Turismo da Índia, Yogendra Tripathi .

Turismo para Millennials

O turismo é uma indústria em crescimento - com o número de visitantes da Ásia - e em particular da China - em expansão. Uma tendência impulsionada com ajuda dos chamados "millennials", experientes no uso da tecnologia.

Em países como a África do Sul os turistas jovens representam a área de crescimento mais rápida, impulsionados pelas redes sociais a encontrar algo novo e autêntico.

Para Sisa Ntshona, diretor executivo do Turismo Sul-Africano, "a ideia-chave para eles é "tratar-me como um local, eu quero andar como um local, agir como um local, beber como um local" e por aí adiante. A tecnologia é tão importante. Ela tem de resultar, de acertar no ponto. O objetivo é educar e informar os turistas à medida que viajam. E também é ótimo para nós, porque nos permite recolher informação, obter dados sobre cada viajante. de forma a identificá-lo.. Como falamos consigo enquanto indivíduo e não para um grupo de pessoas? Como podemos vender especificamente para si? Podemos colocar-lhe este dispositivo na mão, para que possa sentir que alguém está a falar consigo e sobre o que realmente lhe interessa”.

Tecnologia e Sustentabilidade

A tecnologia também é algo que a Albânia está a usar para mostrar ao mundo do turismo que está aberta aos negócios.

Localizada sudeste da Europa, é um destino relativamente novo, que, no ano passado, atraiu mais de seis milhões de turistas estrangeiros,um aumento de 20% em relação a 2017.

Para muitos é ainda um tesouro escondido, mas a beleza das montanhas e as praias deslumbrantes começam a atrair cada vez mais visitantes.

"As empresas estão a perceber que vivemos numa nova era e as operadoras de turismo apostam cada vez mais na tecnologia. Fizemos algumas campanhas diferentes, através das redes sociais, o que está a ajudar a mudar a imagem da Albânia. As pessoas deviam saber que a Albânia é um lugar único que precisa de ser visitado pelo menos uma vez na vida", defende Blendi Klosi, Ministro do Turismo e do Meio Ambiente da Albânia

A Albânia está interessada em atrair turistas, preservando o ambiente natural do país. Com tantas pessoas a viajar, o turismo sustentável e responsável tornou-se num conceito-chave para a indústria, de forma a garantir que, quando viajamos, deixamos uma pegada positiva. E essa é uma onda que as Seicheles querem apanhar, com a ilhas particularmente vulneráveis às alterações climáticas.

O número de turistas foi limitado, assim como a construção de grandes hotéis. Muitos plásticos também são proibidos, incluindo sacos descartáveis, copos, palhinhas e outros utensílios.

Didier Dogley, Ministro do Turismo das Seicheles explica que o governo está "a encorajar todos os turistas que vêm para as Seicheles a participar desta empolgante jornada, a participar e tentar manter as Seicheles imaculadas, tal como estão quando eles chegam. E estamos a incentivar à prática de atividades sustentáveis. Estamos também a inventivar todos os hotéis a participar no programa de sustentabilidade do país, que aposta na sustentabilidade dos hotéis, ao nível do uso de energia, da água, mas também dos diferentes produtos que usam e tenta especialmente que usem mais produtos locais nos restaurantes e nos hotéis em geral".

Por um céu mais sustentável

O desafio da sustentabilidade também se estende aos céus. Companhias aéreas como a Thai Airways estão a investir em novos aviões, mais ecológicos e mais económicos. Novas tecnologias estão a ser desenvolvidas e aplicadas para transformar a forma como viajamos e a pegada de carbono que deixamos para trás.

"Na Tailândia, estamos entusiasmados com a tecnologia verde e em por o ambiente em primeiro lugar. É por isso que damos o melhor para adquirir nova tecnologia, uma nova geração de aviões, porque sabemos que esses aviões são eficientes no consumo de combustível. E, para além dos novos aviões, também estamos envolvidos em muitas ações de responsabilidade social, especialmente no que diz respeito ao meio ambiente. Acreditamos também que a gestão de resíduos é o próximo passo. O desenvolvimento sustentável está a chegar. Ao nível da alimentação, da carga. Por isso, tentamos certificar-nos de que estamos a trabalhar cada vez mais para garantir a gestão de resíduos", afirma o diretor de marca, comunicação e marketing da companhia aérea, Kittiphong Sansomboon.

Excesso de turismo

A ITB é uma oportunidade para os principais participantes debaterem e discutirem as tendências e os atuais desafios do setor. Um deles é a infraestrutura turística, debatida numa das sessões por ministros do turismo e altos funcionários.

Mariam Kvrivishvili é chefe da Administração Nacional de Turismo da Geórgia e explica que "à medida que continuamos a crescer, entendemos e assumimos a responsabilidade de garantir um turismo sustentável, muito importante para o meio ambiente. Se olharmos para a Geórgia, 65% do país são montanhas e vegetação "

Ligado à infraestrutura está o desafio do excesso de turismo. Muitos países estão a promover locais menos conhecidos para aliviar as principais atrações e tentar distribuir o número de visitantes ao longo do ano.

"O turismo em excesso é um grande problema em muitos destinos, como por exemplo em Veneza, ou Dubrovnik e por adiante. Precisamos de novas medidas para lidar com este problema. Por exemplo, precisamos de restrições ou tabelas de preços que que não sejam acessíveis a todos. As pessoas têm de pagar pelo turismo. E existem diferentes medidas para lidar com esses desafios", afirma Roland Conrady, Diretor Científico da ITB de Berlim.

Turismo a Oriente

Longe dos debates e discussões, a China mostrou-se na ITB deste ano através de uma grande exposição. Com o número de viajantes chineses a crescer, é em casa que o país procura aumentar a atratividade turística.

Os turistas são agora incentivados a visitar lugares como a província do sul de Hainan. A cidade de Sanya, por exemplo, é conhecida como o "Havai do Oriente" e está a torna-se num dos mais procurados destinos de praia.

"Hainan é uma ilha tropical na província mais a sul da China. Está localizada na mesma latitude que o Havai e Phuket. A primeira imagem que as pessoas têm de Hainan é o sol e as praias, mas temos outros recursos naturais autênticos para oferecer: 1944 quilómetros de litoral, 61 baías maravilhosas, mais de 70 fontes termais naturais e 81 montanhas com mais de 1000 metros de altura. Também temos a política de isenção de vistos mais acessível da China. Os 59 países isentos de vistos incluem muitos países europeus, como a Alemanha, o Reino Unido e França", conta Fenghua Fu, vice-diretor da Divisão Internacional de Marketing do Departamento de Turismo, Cultura, Rádio, Televisão e Desporto da Província de Hainan.

Noutro ponto da Ásia, as Filipinas desfrutam de novas ligações aéreas e vêem na Rússia e no médio Oriente novos mercados a explorar. Tal como outros países, estão cada vez mais as comunidades locais no centro da atração turística.

Marie Venus Q. Tan, diretora de operações da Tourism Promotions Board Philippines, revela que "cada vez mais, queremos a diversificação, para além da praia e das montanhas. Promovemos isso, mas estamos a olhar agora para os aspetos imersivos e experienciais das viagens e isso mudou muito. As pessoas agora viajam por se interessarem. É o que as motiva e é esse o caminho que estamos a tomar, que os viajantes, nacionais e internacionais, explorem o interesse nas Filipinas. E vamos focar-nos nos filipinos, na nossa cultura, no nosso povo, na nossa história. Estamos à procura de criar uma narrativa e para nós, para mim, nos próximos 10 anos, isso vai acrescentar muito interesse às Filipinas ".