Última hora

Última hora

Supercomputadores aceleram inovação

Supercomputadores aceleram inovação
Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo de empresas da República Checa usa um supercomputador para aumentar a capacidade de inovação e criar novos produtos.

A velocidade de processamento do supercomputador checo equivale à de 13 mil computadores portáteis. O projeto é coordenado pelo centro T4Innovations, na cidade de Ostrava.

"Tentamos ajudar as empresas para que elas usem os supercomputadores, as tecnologias de elevado desempenho, para desenvolverem os seus negócios. Elas têm à disposição peritos e a nossa experiência para que elas adotem este tipo de tecnologias", explicou Vít Vondrák, diretor executivo do centro IT4Innovations.

Supercomputadores aceleram inovação

Uma das empresas utiliza o supercomputador para fabricar próteses médicas, nomeadamente capacetes para bebés com a cabeça deformada. Graças ao supercomputador e à impressão 3D é possível fabricar um capacete à medida para cada criança.

A empresa checa pretende conceber produtos de elevada qualidade para exportar para os Estados Unidos e para outros países europeus.

"Todos os nossos produtos são fabricados a partir de dados 3D. Se são construídos ou desenhados num computador, são necessárias oito horas. Com um supercomputador podem ser criados em 8 segundos", explicou Aleš Grygar, designer e cofundador da empresa Invent Medical Group.

O centro IT4Innovations é apoiado pelo Fundo de Desenvolvimento Regional da União Europeia com 61 milhões de euros e recebe 10,7 milhões de euros do governo checo. Até agora, a estrutura desenvolveu 137 projetos com parceiros industriais.

Testes digitais geram poupanças

Um dos parceiros do centro checo é uma empresa que fabrica assentos para comboios. A Borcad usou o supercomputador para fazer testes virtuais de resistência. O uso de modelos digitais, em vez dos protótipos clássicos, permitiu poupar dinheiro e desenvolver assentos leves mas sólidos.

"As principais vantagens do supercomputador para nós têm a ver com a estrutura dos assentos, sabemos mudá-la, reforçá-la, otimizar o processo de soldagem, a espessura do tubo ou partes dos assentos", afirmou Radomír Bělík, engenheiro da empresa Borcad.

Esta primavera, o centro checo vai instalar um novo computador e desenvolver tecnologias de inteligência artificial e de aprendizagem automática.

"É muito interessante ver como os supercomputadores conseguem resolver grandes problemas que não conseguimos resolver sem eles. É algo que me faz feliz", concluiu o diretor do centro IT4Innovations.