A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Estado da União": Brexit em caos e quem ganha com o Brexit

"Estado da União": Brexit em caos e quem ganha com o Brexit
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Esta semana as atenções voltaram-se para o caos no parlamento britânico que pela segunda vez rejeitou o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Por terras continentais reina a frustração mas será que existe uma saída para este impasse?

Falámos com um negociador experiente, o antigo presidente da comissão europeia e primeiro-ministro italiano, Romano Prodi.

Mas por entre tanta confusão, quem beneficia de facto com o Brexit?

Perante o cenário de falta de acordo, muitos elementos do setor financeiro, um sector de peso na City of London, já começaram a mudar as operações da Grã-Bretanha para a União Europeia.

Um dos países que mais beneficia com este êxodo é o Luxemburgo.

Aqui estão alguns números que marcaram esta semana:

580,000 - Este é o número de pessoas que procuraram asilo na União Europeia no ano passado.

Segundo o gabinete de estatística da União Europeia, Eurostat, o número voltou a descer.

Os estados-membros registaram 580 mil novos pedidos de asilo, uma queda de 11% relativamente a 2017 e menos de metade do número registado no pico da crise migratória em 2015.

A Síria permaneceu o principal país de origem dos requerentes de asilo.

4 - Numa iniciativa invulgar, quatro executivos de topo de grandes empresas alemãs alertaram contra os perigos do populismo.

Os diretores executivos da ThyssenKrupp, RWE, E.ON e Evonik afirmam que a ideia de que a cooperação cria prosperidade encontra-se ameaçada.

Os altos funcionários apelaram aos trabalhadores no sentido de participarem nas eleições europeias.

8,8 milhões - A poluição mata mais pessoas a nível global do que o tabaco, segundo um estudo publicado esta terça-feira no qual se apela ao fim dos combustíveis fósseis.

Investigadores na Alemanha e em Chipre estimam que a poluição atmosférica causou 8,8 milhões de mortes adicionais em 2015 - um número superior aos estimados sete milhões de vítimas do tabaco.

O estudo foi publicado no European Heart Journal.

Olhemos agora para alguns dos principais eventos previstos para a semana:

Na segunda-feira o Conselho de Relações Exteriores reúne-se em Bruxelas.

Na quinta-feira, o presidente chinês, Xi Jinping começa uma visita de quatro dias por itália.

E os chefes de estado e governo da União Europeia reúnem-se em Bruxelas na quinta e sexta-feiras para outra cimeira que será emsombrada pelo caos do Brexit.