A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

No terreno por um Parlamento Europeu mais Verde

No terreno por um Parlamento Europeu mais Verde
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois do lançamento formal da campanha para as eleições europeias, os ecologistas lançam-se no terreno. O holandês Bas Eickhout, cabeça-de-lista dos Verdes, escolheu a capital sueca, Estocolmo, para marcar presença na manifestação pelo Clima esta sexta-feira. Para o eurodeputado, a mobilização lançada pela sueca Greta Thunberg em agosto do ano passado deve servir para exigir metas mais ambiciosas à União Europeia.

Eickhout: "Face a esta pressão das ruas, dos movimentos sociais, vemos que os políticos estão a mover-se lentamente, mas precisamos de agir muito mais depressa. As alterações climáticas constituem uma questão urgente, uma crise. Quando houve uma crise bancária, os políticos foram bastante rápidos para salvar os bancos. Agora temos de ser igualmente rápidos para salvar o planeta."

Para o candidato, o objetivo não é apenas mostrar-se próximo dos atores internacionais da luta contra o aquecimento global, mas também mobilizar os parceiros suecos e os eleitores para os convencer a participar no escrutínio de maio.

Eickhout: "Claro que as pessoas perguntam o que estamos a fazer... Mas é preciso afastar-se dos detalhes técnicos. Se dizemos que no Parlamento Europeu temos os mesmos partidos que nas assembleias nacionais, que discutimos políticas para as alterações climáticas, a energia, a agriculturae que a cor do Parlamento Europeu determina a direção dessas políticas, então as pessoas percebem rapidamente qual é o significado das eleições europeias."

Se bem que o discurso está focado nos assuntos europeus, os Verdes sabem que com o aproximar do escrutínio a campanha se tornará mais nacional do que europeia. É por isso que os ecologistas querem agir o quanto antes para propôr um programa à escala dos Estados-membros.