Tusk aceita adiamento do Brexit, com condições

Tusk aceita adiamento do Brexit, com condições
Direitos de autor REUTERS/Yves Herman
De  Ricardo FigueiraMeabh McMahon
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente do Conselho Europeu quer ver uma decisão do lado de Londres. May não quer adiar o Brexit para lá de 30 de junho.

PUBLICIDADE

Donald Tusk aceita prolongar o prazo para o Brexit, mas Londres tem de mostrar sinais de entendimento. Foi a mensagem do presidente do Conselho Europeu, em resposta à carta de Theresa May: "Acredito que é possível haver uma curta extensão, mas é na condição de haver um voto positivo sobre o acordo de saída da União Europeia na Câmara dos Comuns. A duração desse alargamento é uma questão em aberto".

Theresa May não pode levar o acordo sobre o Brexit à votação na Câmara dos Comuns pela terceira vez na terça-feira,

"Nesta curta intervenção, Donald Tusk disse que não via necessidade de ter uma cimeira de emergência sobre o Brexit na próxima semana, mas havia a opção de lançar um convite aos chefes de Estado e governo dos 27. Isso significa que a decisão dos 27 Estados-membros da União Europeia sobre se aceitam, ou não, essa extensão, pode não chegar manhã nem sexta-feira. É algo sobre o qual vão precisar de tempo para discutir, preparar, entrar em diálogo e conversações com os governos e, claro, isso é algo que os diplomatas precisam de preparar", conclui a repórter da euronews em Bruxelas Meabh McMahon.

Depois de Tusk, foi a vez de Theresa May ler uma declaração pública, onde disse que não está disposta a adiar o Brexit para lá do dia 30 de junho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Notas com cara de Carlos III entram em circulação em junho

As Falklands pertencem ao Reino Unido? Nova sondagem revela que nem toda a gente na Europa está de acordo

Julian Assange inicia última batalha legal no Reino Unido para evitar a extradição para os EUA