A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Racionamento elétrico na Venezuela

Racionamento elétrico na Venezuela
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois de apagões sucessivos durante todo o mês de março, os venezuelanos vão ter agora um racionamento de eletricidade, por um período anunciado de 30 dias.

O plano foi divulgado por Nicolas Maduro, na estação pública de televisão do país, sem mais detalhes: "Aprovei um plano de 30 dias para implementar um regime de administração de carga", afirmou.

Maduro diz que durante o período de racionamento serão restabelecidas as infraestruturas de eletricidade e água do país, atribuindo a falta de água e luz a ataques vindos do exterior. A oposição fala de corrupção e incompetência na gestão do sistema elétrico desde a nacionalização em 2007.

Cansados, os venezuelanos voltaram a protestar nas ruas este fim de semana.

"Protestamos pela falta e água desde há muito tempo. Há um mês que estamos sem água e sem luz. Não temos comida, não podemos conservar nada no frio", diz uma senhora.

Um homem, acrescenta: "É um país falido, um país arruinado, o povo com fome, sem medicamentos. Estamos muito mal".

Respondendo ao apelo do líder da oposição, Juan Guaidó, milhares de pessoas protestaram nas ruas este domingo . Falta a água, a luz, a comida, os medicamentos e falta a esperança numa solução para esta profunda crise.