Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Desvio de donativos a Moçambique

Moçambicana espera ajuda humanitária num campo da Beira
Moçambicana espera ajuda humanitária num campo da Beira -
Direitos de autor
REUTERS/ZOHRA BENSEMRA
Tamanho do texto Aa Aa

Perante a devastação provocada pela passagem do ciclone Idai, o mundo uniu-se para ajudar Moçambique. Além dos donativos em dinheiro, os aviões com bens de primeira necessidade, água e medicamentos já há mais de uma semana começaram a chegar ao país, sobretudo à região da Beira, a mais afetada pela tempestade tropical.

Ajuda que não tem chegado toda aos destinatários.

As autoridades moçambicanas admitem que há casos de roubo de alimentos e donativos. Prometem fiscalização apertada e punição exemplar para os criminosos.

O Parlamento aprovou esta quarta-feira a criação de um grupo de trabalho com deputados de todos os partidos para verificar a transparência na ajuda às vítimas. Isto depois do Presidente moçambicano, Filipe Nyusi ter ordenado a criação de uma comissão independente que vai liderar o processo de distribuição de mantimentos aos deslocados vítimas do ciclone.

Peritos internacionais estão na região da Beira para tentar perceber o nível de destruição da segunda maior cidade de Moçambique. Vão depois criar uma base de dados que irá ajudar a planificar os investimentos nas áreas prioritárias.

Cerca de um milhão e trezentas mil pessoas foram afetadas pela passagem do ciclone Idai em Moçambique.