Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Racismo no futebol: Balotelli e Sterling defendem Kean e acusam Bonucci

Moise Kean escapa-se a Darijo Srna durante o Cagliari - Juventus
Moise Kean escapa-se a Darijo Srna durante o Cagliari - Juventus -
Direitos de autor
REUTERS/Alberto Lingria
Tamanho do texto Aa Aa

Mario Balotelli, Raheem Sterling, Paul Pogba e Memphis Depay saíram em defesa de Moise Kean depois de mais um episódio racista vivido num estádio de futebol italiano.

O avançado de 19 anos da Juventus foi insultado durante o jogo no terreno do Cagliari, esta terça-feira à noite. Kean respondeu com o gesto silencioso de abrir os braços diante da bancada dos adeptos rivais após marcar o golo que selou o jogo e, após o apito final, foi repreendido por um colega de equipa.

Durante o jogo também Blaise Matuidi foi alvo de insultos e pareceu dizer ao árbitro, a certa altura, que ameaçava abandonar o recinto de jogo se nada fosse feito. O francês já havia passado pelo mesmo também em Cagliari na época passada.

"A culpa é 50-50. O Kean errou. A bancada errou. O Kean sabe que quando se marca um golo deve pensar em celebrar com a equipa, nada mais. Todos juntos abraçados. Deu-se um episódio e também ele devia ter feito alguma coisa de diferente. O Blaise Matuidi também ouviu e ficou irritado, mas, se o Kean não tivesse comemorado diante dos adeptos adversários, eles não teriam reagido daquela forma. Somos profissionais, temos de dar o exemplo e não provocar ninguém", afirmou Leonardo Bonucci, de 31 anos, citado pela Gazzetta dello Sport.

Pela rede social Instagram, Kean viria a sublinhar a resposta dada aos adeptos rivais que o insultaram, legendando uma foto sua de braços abertos diante dos adeptos rivais com o texto "a melhor maneira de responder ao racismo".

A publicação de Kean mereceu um comentário de Mario Balotelli, o compatriota de origem ganesa que representa o Marselha.

View this post on Instagram

The best way to respond to racism ? #notoracism ?

A post shared by K M B 9 ? (@moise_kean) on

"Bravo! E diz ao Bonucci que a sorte dele é que não estava lá. Em vez de defender-te, o que é que ele fez? Estou chocado, juro. Tudo de bom, meu irmão", escreveu Balotelli.

Numa história efémera também no Instagram, Sterling também questionou a postura de Bonucci: "A culpa é 50-50, Bonucci? Tudo o que pudemos fazer é rir."

O holandês Memphis Depay, do Olympique de Lyon, recorreu ao Twitter também para criticar Bonucci e defender Kean.

"Como um dos capitães da Juventus, estou desiludido pela tua reação. O rapaz pode celebrar como quiser. O papel dele é essencialmente pela equipa e joga com tanto orgulho pelo seu país. Deve ser respeitado por isso", escreveu o holandês em italiano, concretizando em inglês: "Não vamos calar-nos. Diz não ao racismo."

Também pelo Instagram, o médio do Manchester United e ex-Juventus Paul Pogba enviou um alerta com destinatário bem definido: "Bons italianos acordem. Não podem deixar um pequeno grupo de racistas falar por vocês."

Em inglês, o médio francês dos "red devils" disse "apoiar todas as lutas contra o racismo". "Somos todos iguais", sublinhou Pogba.

Expulsão perpétua para racistas

O incidente não passou ao lado do treinador da Juve. Na conferência de imprensa após o jogo Massimiliano Allegri pediu a proibição total de quem cometer atos similares nos estádios.

"Como tenho dito e repetido, volto a dizer: existe uma solução para isto. Existem instrumentos nos estádios, as câmaras, e quando estas pessoas são filmadas a ter estas atitudes devem ser expulsas e impedidas de voltar. Não é preciso mais. Precisamos de regras de ferro que sejam respeitadas. Uma proibição completa. É muito simples. E não deviam voltar. Nem por um mês nem por um ano, mas para toda a vida. Quando alguém comete um erro destes, é o fim. Problema resolvido", afirmou o treinador da equipa de Cristiano Ronaldo, que esteve ausente nesta jornada por lesão.

O jogo não foi fácil para Moise Kean. Logo aos 20 minutos, o jovem avançado italiano simulou uma falta para tentar ganhar um penálti e foi admoestado com um cartão amarelo, que nem reclamou.

O atrito com os adeptos rivais agravou-se progressivamente, mas no final a Juventus ganhou 2-0 em Cagliari, a Itália voltou a colocar na mesa o debate sobre o problema do racismo nos estádios de futebol e Bonucci viria a publicar uma história efémera no Instagram com uma legenda em inglês: "Apesar de tudo, em todo o caso... Não ao racismo."