Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Nova autoestrada grega reduz mortalidade

Nova autoestrada grega reduz mortalidade
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Uma das estradas mais perigosas da Grécia, palco de numerosos acidentes mortais, tornou-se, há dois anos, numa das autoestradas mais seguras do país. Na memória ficam recordações trágicas como as de um acidente em 2014 onde 21 estudantes perderam a vida.

As obras na antiga estrada nacional que liga Atenas a Tessalónica deram origem a três novos túneis e pontes.

"Há muitas vantagens agora. A estrada é mais segura. Desde a construção e abertura dos túneis, desapareceram muitos dos perigos existentes nesta área", afirmou Athanasios Bliatsios, condutor de camiões.

O projeto apoiado pelo fundo de coesão da união Europeia já deu resultados concretos, o número de acidentes baixou significativamente. A nova infraestrutura integra a Estrada Europeia E75, que liga a Noruega ao sul da Grécia.

Um estímulo para a economia local

As obras demoraram mais seis anos do que o previsto devido à crise financeira, mas, a nova infraestrutura é agora um estímulo para a economia local, favorecendo os transportes.

"Um dos maiores benefícios é o facto de os túneis melhorarem a mobilidade especialmente no centro e norte da Grécia. O tempo de viagem diminuiu de forma significativa, menos 30 minutos, na nova secção e, claro, há vantagens ao nível da segurança. As pessoas já não precisam de passar pelo Vale de Tempi, podem usar a via moderna e os túneis", disse Dimitrios Gatsonis", presidente da empresa Aegean Motorway SA.

Câmaras 24 horas por dia

Ao longo dos onze quilómetros dos três túneis, foi instalada uma vasta rede de vigilância. A circulação é monitorizada num centro de gestão de tráfego aberto todos os dias, 24 horas por dia.

"Dentro dos túneis, há mais de 400 câmaras instaladas a cada 75 metros. O sistema é capaz de detetar incidentes e parar os veículos, detetar peões e carros que circulam em sentido inverso e detetar fumo no túnel", explicou Maria Goudi, supervisora no centro de gestão de tráfego da A1.

O tráfego de veículos pesados aumentou quase 30% nos últimos dois anos, apesar da morosidade do crescimento da economia grega.

"No passado, conduzir nesta zona era mais difícil. Quando passava nesta estrada, não podia apreciar a bela paisagem. Agora é diferente. Gosto de conduzir aqui", contou Athanasios Bliatsios, condutor de camiões.