A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Nova Zelândia e França juntos contra a divulgação online de atos terroristas

Nova Zelândia e França juntos contra a divulgação online de atos terroristas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

É o nome do compromisso que a primeira-ministra da Nova Zelândia e o presidente francês querem ver assinado para impedir a divulgação online de atos de extremismo violento e terrorismo.

Jacinda Ardern e Macron vão reunir-se em Paris no próximo mês para pedir aos líderes mundiais e responsáveis de empresas de tecnologia que assinem um acordo em homenagem à cidade da Nova Zelândia onde ocorreu um ataque a 15 de março.

A chefe do executivo neozelandês explica que "o plano é criar unidade em torno desta questão. Claro que queremos salvaguardar os princípios de liberdade, abertura e segurança na internet. Isto não se trata de liberdade de expressão. Trata-se de prevenir o extremismo violento e o terrorismo online. Não acredito que alguém defenda que o terrorista de 15 de março tinha o direito de transmitir o homicídio de 50 pessoas e o que pretendemos visar é este tipo de situações".

Recorde-se que o homem acusado de assassinar 50 pessoas em duas mesquitas de Christchurch transmitiu o ataque, em direto, na rede social Facebook.

O vídeo de 17 minutos foi copiado e e republicado nas várias plataformas mesmo depois de ter sido removido pelas empresas de tecnologia.