Última hora

Última hora

Extrema-direita alemã defende gasóleo

Extrema-direita alemã defende gasóleo
Tamanho do texto Aa Aa

Entrar numa cidade alemã com um velho carro a gasóleo é cada vez mais difícil. Um tribunal alemão decidiu que os municípios podem proibir a entrada de carros a gasóleo para combater a poluição e várias cidades adotaram a medida.

Mas a tendência faz com que muitas pessoas fiquem chateadas. Uwe Jenrich, é dono de uma garagem perto de Bochum e diz que muitos clientes estão desapontados com a decisão porque isso obriga-os a trocar de carro.

"Muitos estão a mudar para carros a gasolina, porque as pessoas são inseguras. Há um debate constante sobre quem pode entrar nas zonas de baixas emissões com que tipo de dísticos. Os meus clientes acham que é desnecessário, tal como eu. Com isto eles obrigam os condutores a pagar sempre mais quando compram um carro novo e parece que há um negócio oculto para os fabricantes de automóveis. Para mim, é uma fraude."

O partido eurocético da Alemanha, AfD, retomou a questão nesta campanha eleitoral para as europeias. Coloca cartazes por todo o país com a mensagem "Economizem gasóleo".

Acreditam que a tendência anti-gásoleo está a prejudicar os pobres e a colocar em risco a indústria automóvel alemã, como explica Christian Loose, da Alternativa para a Alemanha.

"O gasóleo usa menos 15% de combustível que o motor a gasolina. Por isso, faz sentido continuar a usar carros a gasóleo. Há alguns partidos políticos, como os Verdes, que querem proibir completamente carros a gasóleo até 2030. Queremos impedir isso! Há muitos empregos que dependem disso na indústria automóvel alemã. E os motores a diesel alemães são eficientes e dos mais limpos no mundo. Não é de todo verdade que sejam poluentes."

Hamburgo e Estugarda são algumas cidades alemãs que já proíbem a circulação no centro de carros a gasóleo com mais de dez anos.