Última hora

Última hora

Debate dos candidatos à presidência da Comissão Europeia

Debate dos candidatos à presidência da Comissão Europeia
Tamanho do texto Aa Aa

Cinco candidatos ao cargo de Presidente da Comissão Europeia frente a frente, o primeiro debate para as eleições europeias teve lugar esta segunda-feira em Maastricht, na Holanda. A discussão foi branda e o discurso dirigido essencialmente para o eleitorado jovem, como evidencia o líder do Partido Socialista Europeu, Frans Timmermans.

"Proponho o diálogo em vez do confronto, proponho igualdade em vez de discriminação, proponho um futuro sustentável em vez de uma economia de combustíveis fósseis, proponho que façamos isto juntos sem dar espaço aos nacionalistas."

A visão de Frans Timmermans não foi partilhada pelo líder da Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa. Para o liberal Guy Verhofstadt , o Velho Continente precisa de sangue novo.

"Precisamos de uma nova força na União Europeia, neste debate europeu. Uma força centrista e pró-europeia, um pouco afastada dos partidos tradicionais, socialistas e populares... É fundamental fazer isto, uma nova Europa num novo mundo."

Para o conservador Jan Zahradil, no entanto, a nova Europa não pode significar o abandono dos ideais europeus.

"Gostava de ver um novo equilíbrio entre o nacional e o europeu para, juntos, podermos encontrar soluções para o futuro. É o que chamo de Europa flexível. Para mim, é a única forma de avançar e deixar o impasse atual", afirmou o líder da Aliança dos Reformistas e Conservadores Europeus.

Bas Eickhout é o candidato dos Verdes, no entanto a sua campanha está longe de se limitar às preocupações ambientais.

"Ação para reverter as alterações climáticas precisa de estar de mão dada com a justiça social. É por essa Europa que lutamos. Uma Europa verde e social, uma Europa diferente. Acreditamos na cooperação e no fortalecimento da democracia europeia mas queremos uma Europa socialmente justa e verde", sublinhou o ambientalista.

Quem fugiu ao tom geral foi Violeta Tomič. A atriz eslovena, candidata pelo Partido da Esquerda, destacou-se pela diferença.

"Os políticos em Bruxelas puseram repetidamente os interesses dos bancos e das empresas à frente dos interesses das pessoas. Eu não pertenço ao sistema de Bruxelas, como todos aqueles cavalheiros."

Quem faltou ao debate foi o candidato do Partido Popular Europeu, e o favorito para o lugar de presidente da Comissão Europeia. O alemão Manfred Weber justificou a recusa com incompatibilidades de agenda.

Faltou ainda, o líder da Aliança Livre Europeia, Oriol Junqueras, atualmente em prisão preventiva, em Espanha. O catalão é acusado de vários crimes, incluindo o de rebelião, e está à espera para ser julgado pelo Supremo Tribunal.

As eleições europeias estão marcadas para o dia 26 de maio.