A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Imigração ilegal: Espanha quer que UE dê mais dinheiro a Marrocos

Imigração ilegal: Espanha quer que UE dê mais dinheiro a Marrocos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Espanha quer que a União Europeia dê mais dinheiro a Marrocos para que o país africano continue a combater a imigração ilegal.

Durante uma visita à capital marroquina, o ministro espanhol dos negócios estrangeiros, Josep Borrel, deixou claro que o pedido não é uma cortesia mas sim uma relação de simbiose.

"As pessoas dizem que estamos a ajudar Marrocos porque este país nos ajuda, mas isto não é um presente que damos a Marrocos, é uma cooperação que permite que os dois países encontrem um interesse comum.", admitiu o ministro espanhol

As autoridades de Marrocos impediram 25.000 migrantes de chegarem à Europa desde o início do ano, um aumento de 30% face ao mesmo período do ano passado, dados partilhados em maio pelo chefe de segurança da fronteira marroquina.

Neste encontro com o governo espanhol, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Marrocos, Nasser Bourita, não esqueceu os números.

"Os números falam por si. Combatemos 30.000 tentativas de imigração ilegal. Trinta mil são imensas. Temos também o desmantelamento de 60 redes de imigração durante os primeiros cinco meses deste ano ", admitiu Nasser Bourita.

A União Europeia tinha prometido, no ano passado, 140 milhões de euros ao país africano, destinados exclusivamente ao combate à imigração ilegal. Apenas 30 milhões chegaram ao destino. Marrocos espera receber o resto até o fim deste mês de julho.

Nos primeiros cinco meses deste ano, 7.876 migrantes chegaram a Espanha pelo mar, menos 3% do que o mesmo período do ano passado, segundo a Organização Internacional para a Migração.

Os números do IOM do mês passado mostraram uma queda de 67% nas chegadas pelo mar para 1.160 pessoas, em comparação com maio de 2018.

Só este ano, cerca de 310 migrantes entraram em Espanha a saltar a cerca em Ceuta e Melilla, dois pequenos enclaves espanhóis na costa do norte de Marrocos.