Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Imigração ilegal: Espanha quer que UE dê mais dinheiro a Marrocos

Imigração ilegal: Espanha quer que UE dê mais dinheiro a Marrocos
Tamanho do texto Aa Aa

A Espanha quer que a União Europeia dê mais dinheiro a Marrocos para que o país africano continue a combater a imigração ilegal.

Durante uma visita à capital marroquina, o ministro espanhol dos negócios estrangeiros, Josep Borrel, deixou claro que o pedido não é uma cortesia mas sim uma relação de simbiose.

"As pessoas dizem que estamos a ajudar Marrocos porque este país nos ajuda, mas isto não é um presente que damos a Marrocos, é uma cooperação que permite que os dois países encontrem um interesse comum.", admitiu o ministro espanhol

As autoridades de Marrocos impediram 25.000 migrantes de chegarem à Europa desde o início do ano, um aumento de 30% face ao mesmo período do ano passado, dados partilhados em maio pelo chefe de segurança da fronteira marroquina.

Neste encontro com o governo espanhol, o ministro dos Negócios Estrangeiros de Marrocos, Nasser Bourita, não esqueceu os números.

"Os números falam por si. Combatemos 30.000 tentativas de imigração ilegal. Trinta mil são imensas. Temos também o desmantelamento de 60 redes de imigração durante os primeiros cinco meses deste ano ", admitiu Nasser Bourita.

A União Europeia tinha prometido, no ano passado, 140 milhões de euros ao país africano, destinados exclusivamente ao combate à imigração ilegal. Apenas 30 milhões chegaram ao destino. Marrocos espera receber o resto até o fim deste mês de julho.

Nos primeiros cinco meses deste ano, 7.876 migrantes chegaram a Espanha pelo mar, menos 3% do que o mesmo período do ano passado, segundo a Organização Internacional para a Migração.

Os números do IOM do mês passado mostraram uma queda de 67% nas chegadas pelo mar para 1.160 pessoas, em comparação com maio de 2018.

Só este ano, cerca de 310 migrantes entraram em Espanha a saltar a cerca em Ceuta e Melilla, dois pequenos enclaves espanhóis na costa do norte de Marrocos.