Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Putin: "As guerras comerciais podem levar a guerras reais"

Putin: "As guerras comerciais podem levar a guerras reais"
Tamanho do texto Aa Aa

"As táticas agressivas dos Estados Unidos como a campanha desencadeada contra a Huawei vão levar a guerras comerciais e a possíveis guerras reais". É o alerta de Vladimir Putin, deixada no Fórum Económico de São Petersburgo ao lado do seu forte aliado, Xi Jinping.

O presidente russo acusou Washington de "agoísmo económico desenfreado" e afirmou: "O atual modelo de relações económicas está, infelizmente, em modo de crise e esta crise é compreensível. Quais são as fontes da crise? Creio que a razão principal é que o modelo de globalização que foi proposto no final do século XX é cada vez menos adaptado à nova realidade económica emergente".

Para o secretário-geral da ONU, é importante evitar que os Estados Unidos e a China se deixem enredar numa disputa comercial que pode ser perigosa. António Guterres declarou: "Acho que é nosso dever evitar que o mundo caia numa outra Guerra Fria, uma outra Guerra Fria de dois blocos que provavelmente ficariam completamente separados numa perspectiva monetária, militar e também a nível do comércio e da tecnologia. Isso seria extremamente perigoso para todos nós e precisamos de fazer tudo para evitá-lo."

Também o presidente chinês apela a uma solução. Vladimir Putin, por seu turno, aproveitou a ocasião para relançar a batalha contra o papel do dólar no sistema financeiro mundial, acusando Washington de "usar a moeda como instrumento de pressão".

Putin considera que “a confiança no dólar está a cair”, mas a Rússia continua a estar fortemente dependente da moeda norte-americana para o seu comércio externo. Moscovo tenta há vários diminuir a dependência do dólar, procurando usar moedas locais nas transações com outros importantes parceiros, como é o caso da China.

O clima de tensão entre a Rússia e os EUA subiu de tom depois de o governo norte-americano ter imposto drásticas sanções económicas a Moscovo.