Lula da Silva: Sérgio Moro é um "mentiroso"

Lula da Silva: Sérgio Moro é um "mentiroso"
Direitos de autor REUTERS/Adriano Machado
De  Rodrigo Barbosa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ex-presidente do Brasil reage à polémica revelação das conversas entre o atual ministro da Justiça e o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da mega-operação anticorrupção Lava Jato

PUBLICIDADE

Lula da Silva diz que Sérgio Moro é um "mentiroso". O ex-presidente do Brasil não poupou críticas ao atual ministro da Justiça - que foi o responsável pela sua condenação -, numa entrevista na qual reage às polémicas conversas divulgadas pelo site The Intercept entre o ex-juíz federal e o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da mega-operação anticorrupção Lava Jato.

Lula da Silva: "Eu estou ficando feliz com o facto de que o país vai finalmente conhecer a verdade. [...] Eu disse o tempo inteiro que o Moro é mentiroso. [...] Eu disse no primeiro depoimento que eu fiz - isso está gravado - que ele estava condenado a me condenar, porque a mentira tinha ido muito longe. Ele deveria ter sido preso ali. [...] Nesse instante, eu estou mais tranquilo do que o Moro, estou mais tranquilo do que o Dallagnol e estou mais tranquilo do que qualquer juíz neste país. [...] O que é que eu espero? Que se faça justiça neste país."

Numa entrevista publicada esta quinta-feira pelo jornal Estadão, Moro reage às revelações do The Intercept, que classifica no Twitter de um "site associado a hackers criminosos", dizendo que "não tem problema, se quiserem publicar tudo", mas que não vai afastar-se do cargo e que não há risco de uma anulação do processo que levou Lula da Silva à prisão.

Editor de vídeo • Rodrigo Barbosa

Outras fontes • TVT / Estadão

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Dezenas de milhares de brasileiros saíram à rua para mostrar apoio a Bolsonaro em São Paulo

Supremo Tribunal Federal derruba tese do marco temporal

Bolsonaro acusa Tribunal Superior Eleitoral de "punhalada nas costas"