Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Capitã do Sea Watch 3 ouvida em tribunal

Capitã do Sea Watch 3 ouvida em tribunal
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A capitã do Sea Watch 3 foi hoje ouvida em Tribunal, em Itália. Ainda não foi formalmente acusada, mas enfrenta várias acusações e Matteo Salvini fala em "atos de resistência". Carola Rakete decidiu atracar o navio humanitário em Lampedusa, contra as ordens do governo italiano; foi recebida com aplausos, mas agora enfrenta a justiça.

Carola Rakete chegou ao Tribunal de Agrigento para interrogatório. A capitã do navio humanitário Sea Watch 3, de nacionalidade alemã, de 31 anos, está a ser investigada por ajuda à imigração ilegal e por resistência a oficiais e a navios de guerra.

Segundo um dos advogados de defesa as acusações ainda não foram formalizadas, como o facto de ter apresentado resistência às autoridades e a violação de uma zona restrita de navegação.

A capitã atracou o navio de resgate de migrantes - sem autorização das autoridades - em Lampedusa, depois de 17 dias de espera no mar e depois de ter declarado o estado de emergência a bordo.

Tornou-se um símbolo da luta contra a política migratória de Matteo Salvini, foi recebida com aplausos por dezenas de pessoas no porto de Lampedusa, mas acabou por ser detida pelas autoridades.

Os promotores de Agrigento pedem a confirmação da ordem de prisão e a proibição de permanência em território italiano, depois do desafio às ordens do governo do país representado pelo vice-presidente e ministro do interior. Através do twitter Matteo Salvini, respondeu aos críticos da detenção da capitã alegando um " gesto de resistência".

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Heiko Maas, diz que a capitã do Sea Watch deve ser libertada, porque se tratou de ato humanitário e não criminoso.