A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Juncker diz que nomeação de Von der Leyen "não foi muito transparente"

Juncker diz que nomeação de Von der Leyen "não foi muito transparente"
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Juncker lamenta a falta de transparência na escolha dos cargos de topo. O presidente da Comissão Europeia diz que o processo usado para a nomeação da sucessora, Ursula von der Leyen, e de outros cargos institucionais de topo "não é transparente"

"Sim, o processo não foi muito transparente, mas o processo que levou à minha nomeação em 2014 foi muito transparente porque tínhamos candidatos - todos sabiam o que aconteceria se aquele partido ou um outro fossem os mais fortes do parlamento. É uma esperança, a de voltar para o que infelizmente não se tornou numa tradição", admitiu juncker.

Ursula von der Leyen foi nomeada pelo conselho europeu para ocupar o cargo mas a nomeação ainda tem de ir a votos ao parlamento europeu e só se aprovada é que se torna oficial.

Martin Schulz, ex-presidente do parlamento, já tinha criticado a falta de transparência no processo.

"Von der Leyen tem certamente boas qualificações, mas o processo que a levou a esta posição, que a levou a ser candidata, é um processo que atrasa a Europa, um processo de chegar a acordos à porta fechada. O parlamento europeu também não fica bem na figura..Mas do nosso lado....ninguém votou a favor deste processo.", disse Martin Schulz_. _

O processo criticado por Martin Schulz é o processo Spitzenkandidaten, lançado há cinco anos, o qual diz que o presidente da Comissão Europeia tem de ser escolhido entre os candidatos apresentados pelas principais famílias políticas europeias.

Ursula Von der Leyen escapou a este processo.