A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Partido Servo do Povo vence legislativas na Ucrânia

Partido Servo do Povo vence legislativas na Ucrânia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Ainda antes de o programa partidário e a lista de candidatos serem conhecidos, mais de 40% dos ucranianos estavam dispostos a votar no Servo do Povo.

O partido de Volodymyr Zelenskyi, que depois de eleger um comediante para a presidência do país com 73% dos votos, voltou a saborear a vitória nas legislativas, ao conquistar 42% do eleitorado. Um momento que o recém-eleito presidente não quis deixar passar sem agradecer o apoio dos ucranianos à nova força partidária no país.

"Parabéns a todos! Este é um grande resultado e simbólico! 73% seria melhor, mas estamos gratos. Francamente, todos nós estamos gratos pelo apoio demonstrado pelos ucranianos. Obrigado!", agradeceu Zelenskyi, durante o discurso de vitória.

As promessas eleitorais mantêm-se depois do fecho das urnas: combater a corrupção, por termo ao conflito a este e concretizar as alterações à lei já tantas vezes prometidas pelos antecessores.

Eugen Bragar, candidato pelo Servo do Povo garante que vão manter "a via pró-europeia", mas que o partido quer também "abolir a lei de impunidade dos deputados, renovar o governo e criar legislação sobre a impugnação do presidente".

A "Plataforma da Oposição – Pela Vida", o único partido pró-Kremlin a assegurar lugares no parlamento, ficou em segundo lugar com 12,5% dos votos. As restantes contas são agora feitas entre o Solidariedade Europeia, do antigo presidente Petro Poroshenko, que, desta vez, se ficou pelo terceiro lugar, o partido “Pátria”, da ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko, e o Voz, da estrela rock Sviatoslav Vakarchuk.

Sistema eleitoral

Iryna Bekeshkina, da Fundação Iniciativas Democráticas Ilko Kucheriv, explica que, "na Ucrânia, o parlamento está dividido em duas partes, metade é eleita por listas partidárias e a outra metade por votação uninominal. Olhando para as listas partidárias já conseguimos ver que mais de metade dos assentos parlamentares são do partido do atual presidente, mas ainda não sabemos quais vão ser os resultados. A dúvida é se o Servo do Povo vai ganhar a maioria no parlamento e não ter de se coligar com ninguém, podendo escolher o próprio governo".

Com o nome do futuro primeiro-ministro por anunciar, o Servo do Povo levanta um pouco do véu e diz que o cargo será ocupado por um economista de renome que nunca esteve no poder. A Ucrânia permanece em suspense.