A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Greta Thunberg divide França

Greta Thunberg divide França
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Greta Thunberg enfrenta uma nuvem de contestação política em França. A vaga de calor que atravessa o país podia ser o enquadramento perfeito para a jovem que luta pela mudança de comportamentos para travar o aquecimento global, em vez disso desencadeou uma série de críticas.

Guillaume Larrivé, do partido de direita "Os Republicanos", diz que o país não precisa de "gurus apocalípticos".

Sébastien Chenu, da União Nacional de Marine Le Pen, pergunta: Se não ajoelhar à sua frente estarei a ser politicamente incorreto?

Mas até entre a maioria, há vozes discordantes.

Como a Secretária de Estado para a Igualdade, que crítica o facto de Greta não frequentar a escola.

Para Bénédicte Peyrol, deputada do partido A República em Marcha, diz lamentar "que tenhamos transformado Greta numa heroína e num icone" acrescentando que os seus heróis são os "eleitores que tentam encontrar soluções" ou os agricultores "que perguntam o que podem fazer para a transição ecológica".

A jovem sueca tem garantido aplausos nos principais palcos internacionais. É contestada por alguns políticos num país que apesar disso lhe entregou o Prémio da Liberdade e lhe abriu as portas do parlamento.